praseodímio

O praseodímio, cujo símbolo químico é Pr, é um elemento químico sólido, pertencente ao grupo de metais das terras raras (lantanídeos), macio, maleável, de cor branco-prateada ou amarelada, que se localiza no grupo 3 e período 6 da Tabela Periódica.
Este elemento possui número atómico 59 e massa atómica 140,907 65.
É mais resistente à corrosão do ar do que o európio, lantânio, cério e neodímio, mas desenvolve uma película verde de óxido, quando exposto ao ar, que se espalha a longas distâncias.
O praseodímio deve ser conservado e armazenado numa atmosfera inerte ou conservado em óleo mineral ou petróleo.
Os óxidos das terras raras, incluindo o óxido de praseodómio (Pr2O3), são dos compostos mais refratários existentes.
O metal branco-prateado de praseodímio é eletropositivo e reage lentamente com a água fria e muito rapidamente com a água quente, formando hidróxido de preseodímio (Pr(OH)3) e hidrogénio gasoso.
O praseodímio também reage com todos os halogéneos formando haletos de preseodímio.
O único isótopo que ocorre naturalmente é o praseodímio-141, que não é radioativo. No entanto, produziram-se 14 radioisótopos.
O praseodímio foi descoberto em 1885 em Viena, Áustria, pelo cientista austríaco Carl F. Auer von Welsbach, que o separou de um composto denominado didímio, obtido do mineral samarskite, em dois elementos raros, o praseodímio e o neodímio, que originaram sais de diferentes cores.
O nome praseodímio deriva do grego prasios didymos que significa gémeo verde.
É um metal existente comercialmente e, portanto, não é comum produzi-lo em laboratório, isto também porque há grande dificuldade em separá-lo do metal puro.
Os lantanóides (terras raras), dos quais faz parte o praseodímio, são encontrados na Natureza em alguns minerais. Os principais minérios do praseodímio são a bastenaesite e a monazite, dos quais é separado por um processo de permuta iónica.
Os compostos de praseodímio raramente são encontrados em pessoas. Todos estes compostos são altamente tóxicos, embora demonstrações iniciais possam sugerir que o risco é limitado.
Estes compostos podem queimar a pele e irritar os olhos. O pó de metal pode provocar risco de fogo e explosão.
O praseodímio é usado em metais mistos, numa liga de elementos das terras raras contendo 5% de praseodímio e em pedras para isqueiros. Uma outra mistura de elementos das terras raras contendo 30% de praseodímio é usada como catalisador no cracking de óleo de crude.
Como referenciar: Porto Editora – praseodímio na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-10-18 09:57:34]. Disponível em