Primeiros Versos

Coletânea poética dedicada a António Feijó, onde Luís de Magalhães se distancia do erotismo romântico ("Astarteia", "Acusação da Lua"), professando a estética naturalista ("Sobre um livro de Zola", "Epopeia da Natureza"). O autor celebra o progresso científico ("O telescópio", "A atraccção") e, em quadros históricos semelhantes aos da Visão dos Tempos, de Teófilo Braga ("Visão", "Lenda da Verdade"), mitifica a "luta fadigosa do Pensamento Humano" contra "o vasto Incognoscido": "Eu venço o Espaço e o Tempo, e domo os impossíveis,/ e vejo claramente as coisas invisíveis./ (...)/ Eu sigo eternamente a velha Humanidade,/ sou a luz do ideal da nova sociedade:/ eu sou a vossa estrela, o vosso meridiano,/ eu sou o vosso filho - o Pensamento Humano!" ("Visão").
Como referenciar: Porto Editora – Primeiros Versos na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-10-25 13:55:54]. Disponível em