Princesa Juliana

Princesa holandesa, Juliana nasceu a 30 de abril de 1909, em Haia, sendo a primeira filha da rainha Guilhermina e do príncipe Hendrik.
Juliana fez os estudos no Palácio Real, recebendo da mãe os ensinamentos religiosos. Posteriormente estudou Direito na Universidade de Leiden.
Em 1934, no seguimento da morte do pai, assumiu a presidência da Cruz Vermelha holandesa.
A 7 de janeiro de 1937 casou com Bernahrd of Lippe-Biesterfeld, um diplomata e homem de negócios alemão e, no mesmo mês, um ano mais tarde, nasceu a primeira filha do casal, a princesa Beatriz, seguindo-se em 1939 o nascimento de Irene.
Em maio de 1940, em plena Segunda Guerra Mundial, a Alemanha bombardeou e invadiu a Holanda, o que levou à fuga da família real. A rainha Guilhermina e o príncipe Bernhard partiram para o exílio em Londres, em Inglaterra, enquanto Juliana e as filhas foram para Otava, no Canadá, onde permaneceram até ao final da guerra em 1945. Ainda no Canadá, Juliana tinha dado à luz, em 1943, a terceira filha, Margarida.
Já em pleno processo de reconstrução do país no pós-guerra, a Rainha Guilhermina abdicou do trono em favor da filha. Juliana tornou-se rainha da Holanda a 4 de setembro de 1948. Em dezembro de 1949 passou por um dos momentos mais delicados do seu reinado ao entregar a soberania das colónias holandesas na Ásia à nova República da Indonésia.
Em 1952, em tempo de Guerra Fria, a Rainha Juliana foi ao Congresso dos Estados Unidos da América proferir um discurso em favor da paz, cooperação e reconciliação, uma atitude pacifista que na época foi mal vista no mundo ocidental.
A 31 de janeiro de 1953 houve uma grande cheia na província holandesa de Zealand, que provocou cerca de dois mil mortos. A Rainha Juliana passou vários dias na região a confortar e a ajudar a população e ganhou uma grande simpatia no país, que começava a questionar a necessidade da existência de uma monarquia.
A 30 de abril de 1980, por ocasião do seu 71.º aniversário, Juliana abdicou do trono em favor da filha Beatriz.
A partir dessa data, para não interferir na governação da Rainha Beatriz, optou por se manter afastada da vida pública. Reapareceu em público em 1982 para receber o Prémio da Liberdade atribuído pelo Comité Centenário de Franklin Delano Roosevelt, antigo presidente norte-americano.
Em 1997, por ocasião do 60.º aniversário do seu casamento, apareceu em público para agradecer o carinho dispensado pelos holandeses em geral.
A princesa Juliana morreu a 20 de março de 2004.
Como referenciar: Porto Editora – Princesa Juliana na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-08-05 03:34:04]. Disponível em