Princess Street (Edimburgo)

Rua que faz parte do traçado urbanístico para a parte nova da cidade de Edimburgo (Escócia). A planificação racional pautou o novo plano, que surgiu da necessidade de construir mais habitações para albergar um número crescente de habitantes.
Data de 1767 o concurso para esta obra, ganho pelo arquiteto James Craig. A sua ideia era planificar a cidade com se fosse um tabuleiro de xadrez cujo eixo central era a George Street. A arquitetura presente confere à parte nova da cidade uma grande riqueza e unidade estilística. Entre as ruas mais representativas encontra-se a Princess Street. Tornou-se numa rua comercial e é a principal artéria da cidade.
A partir de 1816 deu-se início ao traçado dos jardins da Princess Street, um dos mais notáveis parques urbanos, com a rede de linhas do caminho de ferro no seu centro. Estendem-se por 15 hectares e situam-se entre a velha e a nova cidade. Contém o primeiro relógio floral do mundo, datado de 1903. Para além dos seus relvados e canteiros de flores, possui áreas de lazer e numerosos memoriais, como por exemplo o de Sir Walter Scott. Durante longos anos os jardins foram área de lazer exclusiva dos proprietários de Princess Street, mas em 1876 foram abertos ao público.
Localiza-se numa área classificada como Património Mundial pela UNESCO - Cidade Velha e Cidade Nova de Edimburgo.
Como referenciar: Princess Street (Edimburgo) in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-04-26 07:33:45]. Disponível na Internet: