processo de Hawking

O processo de Hawking, como o próprio nome indica, foi descoberto pelo físico Stephen Hawking (1942-). Este processo consiste na descrição da emissão de partículas por um buraco negro como resultado de efeitos mecânico-quânticos.

O campo gravitacional de um buraco negro provoca a produção de pares partícula-antipartícula na vizinhança do horizonte do acontecimento. Um membro de cada par cai para o buraco negro enquanto o outro se escapa. Para um observador externo parece que o buraco negro está a emitir radiação.

Pode demonstrar-se que um buraco negro emite energia, como um corpo negro, com a distribuição da energia das partículas a obedecer à lei de Planck, para uma temperatura que é inversamente proporcional à massa do buraco. Para um buraco negro com a massa do Sol, esta temperatura é cerca de 10-7 K, pelo que o processo é desprezável.

Contudo, para um miniburaco negro, tal como devia ter sido formado no universo primitivo, com uma massa da ordem de 1012 kg, a temperatura seria da ordem dos 1011 K, e o buraco teria emitido abundantemente um fluxo de raios gama, de neutrinos e de pares eletrão-positrão.
Como referenciar: Porto Editora – processo de Hawking na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-09-16 22:25:15]. Disponível em