Purismo

Introdução
O Purismo foi um movimento artístico, desenvolvido em França desde os finais da segunda década do século XX, que se manifestou essencialmente no campo da pintura e da arquitetura. Tal como o seu nome indica, esta corrente tinha como fundamento a procura da purificação ou simplificação e do Cubismo, estilo relativamente ao qual estabelece uma reação negativa, mas que na prática vai exercer uma enorme influência no seu próprio programa estético.
Tal como se confirma para grande parte dos movimentos vanguardistas, a necessidade de divulgação e propaganda dos princípios estéticos e ideológicos que defendiam culminou na edição própria de revistas ou de catálogos. O movimento purista criou duas revistas para apresentação dos seus postulados. A primeira, L'Élan (1915-1917), produzida por Ozenfant não conheceu grande longevidade, mas a segunda revista, L'Esprit Nouveau, fundada igualmente por Ozenfant (mas desta vez em associação com Le Corbusier) e publicada entre 1920 e 1925, apresentou um forte impacto no meio artístico internacional. Esta revista continha, para além de ensaios dos seus fundadores, textos de artistas e escritores como André Breton.
Arquitetura
Mais que na pintura, foi no campo de arquitetura que este movimento conheceu um maior impacto e desenvolvimento. Partindo dos princípios do funcionalismo, tal como foi veiculado pelo famoso ensaio de Le Corbusier Vers une architecture (publicado nos inícios da década de 20), esta arquitetura procurava a definição de uma estética maquinista e racionalista, através volumes simples e de formas depuradas que transmitissem de forma clara as funções para as quais foram criadas. A arquitetura purista encontrou a sua expressão máxima nos edifícios de Le Corbusier realizados durante as décadas de 20 e 30, nomeadamente nas casas unifamiliares e em alguns edifícios de habitação coletiva.

Artes Plásticas
Os dois protagonistas e expoentes deste movimento foram o pintor francês Amédée Ozenfant (1886-1966) e o arquiteto suíço Charles-Édouard Jeanneret (1887-1965) - conhecido por Le Corbusier - que desenvolveu, para além da importantíssima e marcante obra arquitetónica, significativos trabalhos pictóricos. Para além de Ozenfant e Corbusier, integraram este movimento os pintores Marcelle Cahn (1895-1981), Otto Gustav Carlsund (1897-1948), Serge Charchoune (1888-1975) e Auguste Herbin (1882-1960), entre outros.
Os fundamentos estéticos do Purismo, reunidos num manifesto redigido por Ozenfant e por Le Corbusier, em 1918, sob o título Après le Cubisme (depois do cubismo) determinavam a recuperação de formas de expressão mais simples e rigorosas, dentro de uma linguagem disciplinada de carácter mecanicista, considerando que o Cubismo se tinha tornado excessivamente individualizado, subjetivo e decorativo. Abordando as temáticas de índole maquinistas, os artistas deste movimento revelaram também certa preferência pela natureza morta, onde os objetos eram representados de forma rigorosa em composições estáticas, realizadas a partir de traçados reguladores que se baseavam na secção de ouro.
Como referenciar: Purismo in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-04-25 11:13:59]. Disponível na Internet: