Questão das Curilas e Sacalina (Japão/Rússia)

O Japão e a Rússia envolveram-se num conflito no início do século XX gerado pela disputa dos territórios da Coreia e da Manchúria, no qual o Japão veio a obter pelo Tratado de Portsmouth o retrocesso do Liao-toung, a separação da parte sul de Sacalina e uma total liberdade de ação na Manchúria e na Coreia. Nesta última foi estabelecido um protetorado em 1907. Posteriormente, foi anexada passando a integrar o Império Japonês em 1910.
O conflito travado pelas forças nipónicas e as forças russas, entre 1904 e 1905, foi motivado pelo movimento expansionista da Rússia na Ásia Oriental, que chocou com os interesses japoneses nesta região.
O Japão já tinha sido travado pela Rússia e por outros países na guerra sino-japonesa de 1894 e 1895. A Rússia planeava então a expansão asiática desde o Port Arthur, transportando tropas para a Manchúria, mas em 1902 a sua pretensão foi contrariada pela aliança anglo-japonesa.
Em 1903 foi negociado um acordo entre russos e japoneses, onde se reconhecia os interesses japoneses na Coreia, a par dos interesses russos na Manchúria, e ainda a integridade da China e da Coreia, contudo, este acordo foi recusado pela Rússia. A 8 de fevereiro de 1904 os japoneses atacaram o porto do Pacífico controlado pelos russos, fazendo eclodir a guerra entre estas duas potências.
Como referenciar: Questão das Curilas e Sacalina (Japão/Rússia) in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-02-24 14:58:07]. Disponível na Internet: