raças de cães

O cão é provavelmente o mais antigo e o mais popular animal doméstico. Pensa-se que as primeiras tentativas de domesticação, que vieram mais tarde a originar este animal, tenham sido feitas por uma tribo, talvez asiática, que, há mais de 100 000 anos, terá tentado domar lobos para os poder usar na caça e na guarda dos acampamentos.

No percurso da história do cinema e da literatura é muito frequente a presença de cães, às vezes como companheiros do protagonista, outras vezes com direito ao papel principal, como acontece, por exemplo, com as personagens Milu, Rantanplan, Idéafix, Pluto, Snoopy, Scooby-Doo, Lassie e Rex, entre muitas outras.
Ao longo do tempo, o processo de domesticação foi condicionando os hábitos, aptidões, comportamentos e até as características físicas dos animais - como a forma, tamanho, pelagem, dimensão das orelhas e cauda -, originando a enorme variedade de raças existentes atualmente e espalhadas por todo o planeta.

Os cães que não têm uma raça definida, porque são resultado do cruzamento de duas raças ou advêm de antepassados que já são cruzamentos de cruzamentos, denominam-se rafeiros; um cão de raça pura, pelo contrário, é aquele que descende de gerações onde não houve cruzamentos com indivíduos de outras raças e que, quando cruzado com um indivíduo da sua raça, dá origem a indivíduos exclusivamente da sua linhagem. Quando se fala de uma raça pura, é habitual a menção à genealogia do animal, ou pedigree, que comprova a pureza da estirpe.

À descrição pormenorizada das características morfológicas e comportamentais de uma raça dá-se o nome de estalão dessa mesma raça e serve essencialmente para identificar o tipo de cão ideal aquando da seleção de exemplares para reprodução, exposição ou companhia. Em 1911, foi criada a Federação Cinológica Internacional (FCI), uma entidade que engloba a maior parte das associações nacionais dos países onde existe uma presença significativa de cães de raça, como é o caso de Portugal.

A lei portuguesa obriga a que todos os proprietários registem, licenciem e vacinem os seus cães, e, pela portaria que entrou em vigor a 1 de julho de 2004, passível de ser atualizada em qualquer altura, considera como potencialmente perigosas as seguintes raças: Cão de Fila Brasileiro, Dogue Argentino, Pit Bull Terrier, Rottweiller, Staffordshire Terrier Americano, Staffordshire Bull Terrier e Tosa Inu Japonês.

(NOTA: Consideram-se perigosos os animais que, de alguma forma, já manifestaram a sua agressividade e potencialmente perigosos os que, devido às características da espécie ou do seu comportamento, bem como os cães pertencentes às raças ou cruzamentos de raças indicados em portaria do Ministério da Agricultura, possam causar lesão ou morte a pessoas ou outros animais).

São numerosas e muito diferentes as especificações que distinguem as cerca de 400 variedades da espécie canina. Segue-se um resumo das características mais frequentemente associadas às raças mais comuns encontradas em Portugal:

Basset Hound: com orelhas longas, de inserção baixa, e patas curtas, é um cão lento, outrora utilizado para seguir o rasto de coelhos ou lebres em terrenos com muita vegetação; atualmente é mantido como animal de estimação e de exposição.

Beagle: de pelagem curta e cauda média, forte e ereta, é estável e brincalhão, sendo um dos cães preferidos para viver com uma família.

Boxer: de origem alemã, este cão, de tamanho médio e robusto e orelhas compridas apontadas para cima, é considerado um bom animal de companhia e um ótimo vigilante.

Buldogue Inglês: embora o passado desta raça se paute por alguma violência, este cão é, hoje em dia, considerado meigo, de temperamento ameno e muito amigo do seu dono e das crianças. Uma das suas particularidades físicas consiste em ter uma cabeça larga, com testa achatada e focinho saliente, onde se evidenciam umas bochechas arredondadas.

Cão-de-Água: tido, há muitos anos, como um auxiliar indispensável pelos pescadores portugueses, esta raça, lusa, que correu riscos de extinção no início do século XX, é considerada muito afável, ativa, inteligente e com um olfato excelente. Uma das suas características é a pelagem, que tanto pode ser comprida e ondulada como mais curta e encarapinhada. Adora água e pode ser um bom cão de guarda.

Cão de Fila Brasileiro: fisicamente caracterizado por ter uma pele solta e grossa sobre todo o corpo, principalmente no pescoço, este cão mostra-se leal e obediente para com os donos. Excelente como vigilante, não é, porém, bom companheiro para as crianças nem aprecia a turbulência de uma cidade.

Cão de Fila de S. Miguel: conhecido por "cão das vacas", este animal é um guardador de gado por excelência. Robusto, de cabeça quadrada e maxilares muito fortes, apresenta cores que variam entre o dourado, o amarelo ou o cinzento. Forte e de temperamento voluntarioso, é dócil para o seu dono mas pode tornar-se agressivo com desconhecidos.

Castro Laboreiro: portuguesa, esta raça é excelente como companhia, pela docilidade e afeto dedicados ao dono, e também como guardadora de rebanhos, pela resistência e valentia demonstradas. Pode mostrar-se agressivo com estranhos. Tem um pelo duro, resistente e liso, de cor parda com cambiantes de preto, castanhos e avermelhados.

Chihuahua: proveniente do México, é uma das raças mais pequenas do mundo, embora robusta para o tamanho que apresenta. De movimentos rápidos, cabeça arredondada e orelhas grandes, relativamente separadas entre si, este cão é muito afetuoso e dedicado.

Cocker Spaniel: embora as suas origens se confundam, as variedades americana e inglesa são distintas. O Cocker Spaniel Americano, mais adaptado à caça em zonas húmidas, é mais pequeno, tem um focinho mais curto e apresenta uma pelagem mais espessa que o seu congénere inglês, mais experiente na caça em terreno firme. Ambos são, no entanto, ótimos animais domésticos, brincalhões e bons cães de busca. O Cocker Spaniel Inglês é também conhecido pela expressão meiga dos seus olhos.

Collie: de pelo comprido e abundante, é considerada uma das raças mais atraentes. Devido ao seu temperamento meigo e protetor aliado a uma grande coragem e teimosia, torna-se um excelente cão de guarda e de salvamento na água e no fogo, assim como um dos melhores guias de invisuais, sobretudo jovens.

Dálmata: conotado com a aristocracia britânica, o dálmata é caracterizado pela sua afabilidade, energia e aparência elegante. Criado como animal de estimação ou de exposição, apresenta uma pelagem lustrosa, de fundo branco com manchas pretas ou castanhas muito bem definidas.

Dobermann: raça desenvolvida na Alemanha, com o propósito de se obter um cão de tamanho médio, mas resistente e feroz. Muito obediente, pode ser um excelente companheiro da família e também um bom cão de exposição. Uma das suas característica físicas mais marcantes é apresentar a cauda amputada na 2.ª articulação. Tem uma pelagem curta, áspera e densa.

Dogue Argentino: foi desenvolvido na província argentina de Córdoba, a propósito das tradicionais lutas de cães, com o objetivo de criar uma raça resistente, hábil e imbatível. A sua pelagem é branca e o seu vulto elegante, embora vigoroso. É corajoso, inteligente, seguro, amigável e pouco ladrador.

Fox Terrier: usado no século XVIII na caça à raposa, este cão, embora relativamente pequeno, é muito enérgico e corajoso, revelando-se, por vezes, de difícil convívio com outros cães. É irrequieto, precisando de espaço para se exercitar. Existem duas variedades desta raça: uma, de pelo liso e macio, e a outra, de pelo mais áspero, dito de arame.

Galgo Afegão: oriundo do Sinai, acredita-se que seja este o cão representado em pinturas rupestres com mais de 4000 anos, encontradas no Afeganistão. Afetuoso e leal, pode mostrar-se também um pouco obstinado e desconfiado. De porte altivo, elegante e tamanho razoável, prefere os espaços livres.

Golden Retriever: uma das raças mais populares, o Golden Retriever é dócil, inteligente, estável, paciente e de confiança. Originalmente destinado à caça (do inglês retrieving, "que traz a caça ao caçador"), é atualmente muito utilizado como cão de busca e de salvamento, assim como no combate ao tráfico de droga. O pelo é de cor dourada ou creme, normalmente com franjas.

Husky Siberiano: proveniente da região siberiana, no Nordeste asiático, esta raça era responsável, há mais de 2000 anos, pelo arrastamento dos trenós, entre a comunidade Chukchi. Têm o corpo bem revestido de pelo, orelhas eretas e espessas e olhos rasgados, que podem ser castanhos ou azuis. Ativos, independentes, inteligentes e sociáveis, os huskies precisam de donos persistentes e experientes para que não haja o risco dos cães se tornarem dominantes.

Pastor-alemão: leal, corajoso e extremamente inteligente, é muito utilizado como cão de trabalho (guarda, polícia, salvamento, pastoreio, guia, companhia, etc.). Apresenta um corpo possante e musculado, e caminha de forma rápida e vigorosa - é considerado um animal trotador. Desconfiado, aprecia a companhia dos donos e não gosta de permanecer sozinho por longos períodos.

Pequinês: pequeno e robusto, este cão, de origem oriental, é também muito afável, inteligente e destemido. Apresenta um pelo muito comprido e liso, com uma juba volumosa. A cabeça é larga e achatada, com um focinho curto e olhos salientes.

Perdigueiro Português: oriundo da Península Ibérica, é um cão resistente, submisso, comunicativo e de excelente olfato, o que faz dele um cão de caça exemplar. Amarelado, com manchas na cabeça, peito e extremidades, tem um olhar expressivo e muito meigo. Asseado e brincalhão, revela-se um bom companheiro, adaptando-se facilmente à vida familiar.

Pinscher Miniatura: é considerada a mais pequena raça de guarda, embora também sejam mantidos como cães de luxo. É um animal extremamente agitado, ágil e elegante. Temerário e alerta, mostra-se muito desconfiado com estranhos.

Pit Bull Terrier: descendente do cruzamento das raças Bulldog e Terrier, o Pit Bull Terrier Americano é um cão que demonstra simultaneamente força, agilidade, coragem e também alguma amabilidade. De muito bom relacionamento com os donos e crianças, mostra-se, contudo, desconfiado com estranhos e outros animais de estimação. Não existe ainda consenso sobre a definição dos Pit Bull como raça.

Podengo Português: vivaz, inteligente e corajoso, é um excelente caçador de lebres e coelhos. Com faro e ouvido muito apurados, e sendo, simultaneamente, bastante resistente ao calor, é muitas vezes utilizado como cão pisteiro. Muito rápido, dá também um excelente cão de vigia. Tem as orelhas eretas e a cauda em foice, apresentando, de uma maneira geral, formas muito bem proporcionadas e musculadas.

Rafeiro do Alentejo: Independente, trabalhador e obediente, este cão é mantido essencialmente para guardar rebanhos, herdades e quintas. De compleição forte e corpulenta, tem, como característica física distinta, uma cabeça que recorda a de um urso, com maxilares muito desenvolvidos.

Retriever do Labrador: magnífico nadador devido às suas origens - era treinado nas águas geladas do Canadá para recolher as redes da faina -, este cão, cheio de energia e muito brincalhão, precisa de ser exercitado constantemente. É muito afetuoso, leal e inteligente, revelando-se quer um excelente cão de companhia, quer um ótimo guia para deficientes visuais. A sua cauda, conhecida por "cauda de lontra" por ser muito grossa na base e fina na extremidade, constitui o traço distintivo da raça.

Rottweiller: de porte muito robusto, esta raça costumava ser utilizada para trabalhos de força e tração. Atualmente é muito útil como cão-polícia e de guarda. Com uma cabeça larga entre as orelhas e um pescoço possante e arqueado, apresenta uma cauda que, frequentemente amputada na primeira articulação, mantém na horizontal.

Samoiedo: de porte atlético e com uma pelagem comprida e espessa, é proveniente do Antártico onde era utilizado para pastorear as renas. Muito dócil, enérgico e obediente, é um companheiro perfeito para os mais novos.

São-Bernardo: muito afetuoso, tranquilo e brincalhão, aprecia muito a companhia das crianças tornando-se muito facilmente no seu protetor. De grande porte e com um corpo vigoroso, robusto e harmonioso, o São-Bernardo, para além de companheiro dedicado, é criado essencialmente como cão de salvamento.

Serra-da-estrela: é provavelmente a mais antiga raça ibérica. Grandes e entroncados, são magníficos a guardar, sejam rebanhos, quintas ou habitações. Apesar do seu tamanho e do ladrar amedrontador, são dóceis com os donos, sobretudo com as crianças.

Setter Irlandês: possui pelo comprido e sedoso no corpo e curto e fino na cabeça, de cor avermelhada e lustrosa. São cães muito ativos, enérgicos e sempre prontos para a brincadeira. Podem viver mais de 20 anos.

Shar-Pei: amável e introvertida, esta raça é tida como uma das mais insólitas devido às inúmeras pregas de pele que revestem o corpo dos animais, que chegam a ocultar-lhes os olhos. Devido a esta particularidade, é necessário ter cuidados de limpeza redobrados com estes cães. O Shar Pei é bom companheiro e muito fiel ao seu dono.

Staffordshire Bull Terrier: proveniente da Grã-Bretanha, este cão é extremamente musculoso, ativo e ágil. É usado na caça, pela sua coragem e tenacidade, mas também é apreciado para companhia por ser inteligente e muito afetuoso.

Staffordshire Terrier Americano: tal como o seu "parente" inglês, o Staffordshire Bull Terrier, esta raça também foi originalmente desenvolvida na Grã-Bretanha embora tenho migrado, depois, para os EUA. Bem estruturados, musculosos e ágeis, foram frequentemente utilizados em lutas de cães. Afáveis, equilibrados e muito inteligentes, são ótimos guardiães dos seus donos.

Terra Nova: tido por muitos apreciadores como o cão mais leal, generoso e inteligente, o Terra Nova é também muito paciente e dedicado ao seu dono. Adora crianças. Provavelmente devido às suas origens (talvez Canadá ou Pirenéus), não gosta de calor e precisa de muita água. É, aliás, um excelente nadador devido à presença de membranas interdigitais.

Tosa Inu Japonês: também conhecido como Mastim Japonês ou Tosa-Ken, foi originalmente desenvolvido para lutar e é, atualmente, um perfeito cão de guarda e de companhia. Grande, robusto e destemido, precisa de donos firmes e experientes com animais.

Whippet: descendente das raças Greyhound, Galgo Italiano e Terrier, é, para além de um excelente cão de companhia, um ótimo corredor, muito resistente e veloz. Apresenta linhas graciosas num corpo extremamente musculado.

Yorshire-terrier: relativamente recente, esta raça teve as suas origens na Inglaterra. É, junto com o Chihuahua, um dos cães mais pequenos do mundo. Embora não ultrapassando os 3 kg de peso, é um cão destemido e resmungão, mas muito afetuoso e vivo, o que faz dele um excelente animal de estimação.
Como referenciar: raças de cães in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-10-23 21:58:17]. Disponível na Internet: