Raul de Carvalho

Artista dramático português, de nome completo Raul de Carvalho Soares, nascido a 15 de fevereiro de 1901, em Salvaterra do Extremo, e falecido em Lisboa, a 11 de agosto de 1984. Estreou-se no Teatro de S. Carlos em 1921, ao lado de Amélia Rey Colaço, na peça Zilda de Alfredo Cortez. A sua carreira foi quase toda construída em conjunto com essas duas outras personalidades. Foi um dos mais distintos atores teatrais do país, tendo atingido o seu auge durante as décadas de 30 e 40. A sua estreia cinematográfica foi feita ainda no período do filme mudo, participando em O Fado (1923). Seguiram-se O Primo Basílio (1923), A Canção do Berço (1931) e Gado Bravo (1934). Marcou também presença em filmes de cariz histórico: foi o Elmano Sadino em Bocage (1934) e Diogo Lopes Pacheco em Inês de Castro (1944). Da sua filmografia, destacam-se ainda presenças em Fado, História de uma Cantadeira (1948), A Morgadinha dos Canaviais (1949), Frei Luís de Sousa (1950), O Cerro dos Enforcados (1954), O Tarzan do Quinto Esquerdo (1958) e As Pupilas do Senhor Reitor (1961), o seu derradeiro filme.
Como referenciar: Raul de Carvalho in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2018. [consult. 2018-12-09 18:59:37]. Disponível na Internet: