Recensão

Etimologicamente, recensão vem do latim recensionem (= enumeração), que, por sua vez, deriva de censionem (do verbo censeo), que significa avaliação. De facto, a recensão surge-nos como um percorrer (uma enumeração) o texto com o fim de o avaliar.
Como definição, podemos dizer que a recensão é uma apreciação e juízo crítico sobre um trabalho normalmente escrito. Implica uma análise e uma crítica, ou seja, um exame crítico sobre o valor interno e interesse desse trabalho.
Através da recensão devemos ficar com a noção exata do que está a ser objeto de apreciação. É necessário: fidelidade ao assunto, imparcialidade do examinador crítico e clareza na exposição. Convém ter presente que o objeto de análise é o texto e não o seu autor. Para a elaboração de um artigo de expressão crítica ou de uma recensão, é necessário conhecer bem o assunto e a articulação das ideias. Por isso, face ao artigo de informação, à obra ou a uma conferência a que se assiste, devemos tirar um bom conjunto de notas sobre as ideias essenciais e sobre qualquer impressão crítica a que se tenha acesso. Quem elabora a recensão ou artigo de crítica deve procurar: recolher todas as notas possíveis; identificar o assunto fundamental e os objetivos do autor na sua apresentação; verificar a articulação das ideias e o interesse dos critérios seguidos; examinar a orientação ideológica e as possíveis influências; detetar o destinatário/leitor, o seu nível cultural e posição social.

As recensões de artigos ou de obras são trabalhos de expressão crítica.
A crítica apresenta-se como uma atividade reflexiva, que implica observação, análise e apreciação judicativa sobre um assunto. Muitas vezes, interessa mais conhecer racionalmente a obra ou o assunto, em vez de construir um julgamento.
Roland Barthes considera que a crítica "ocupa um lugar intermédio entre a ciência literária e a leitura", enquanto outros autores, como Macherey, a concebe como "escola do gosto" ou "teoria da produção literária".

Como referenciar: Recensão in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-18 22:02:25]. Disponível na Internet: