reciclagem do alumínio

A reciclagem é hoje em dia muito utilizada para economizar recursos finitos, para poupar energia ou para diminuir a poluição.
No caso do alumínio, cujo consumo tem vindo a aumentar, a reciclagem é vantajosa porque, embora o alumínio seja o metal mais abundante na crusta terrestre, a sua obtenção a partir dos minérios é muito dispendiosa em termos energéticos. A agravar este facto, está a grande quantidade de alumínio que se desperdiça diariamente. As latas de bebidas feitas em alumínio são exemplo disso.
O alúmen de potássio ou sulfato duplo de alumínio e potássio (KAI(SO4)2 12 H2O) pertence a um grupo de sais duplos designados por alúmens. O alúmen de potássio tem diversas aplicações, nomeadamente na purificação das águas, para conservar peles, como antisséptico e para evitar hemorragias.
Este sintetiza-se fazendo cristalizar uma mistura aquosa de sulfato de potássio e sulfato de alumínio.
Para a realização da experiência de preparação do alúmen de potássio
(KAI(SO4)2 12 H2O) por reciclagem do alumínio, é necessário o seguinte material: balança analítica, copo de precipitação, erlenmeyer, provetas, balão de kitasato, funil de Buchner, e tubos de ensaio.
Os reagentes utilizados são os seguintes: folha de alumínio usada, solução de hidróxido de potássio, solução de ácido sulfúrico, etanol, solução de hidróxido de sódio, nitrato de bário e cobaltinitrito de sódio.
Para a preparação do sal começa-se por pesar 1,5 g de folha de alumínio cortada em pedaços pequenos e coloca-se num copo de 250 ml. Adiciona-se lentamente 75 ml de solução de hidróxido de potássio e espera-se que o alumínio se dissolva todo e a libertação de gás pare totalmente. Se a solução se apresentar turva é necessário filtrá-la em funil de Buchner.
A esta solução, adiciona-se, muito lentamente e com agitação, 45 ml de solução de ácido sulfúrico. Se for necessário, aquecer a mistura até que todo o precipitado se dissolva. Deixa-se arrefecer até à temperatura ambiente e depois coloca-se em gelo até que se formem cristais.
Em seguida, separam-se os cristais obtidos por filtração a vácuo, usando um funil de Buchner, e lavam-se os cristais com álcool (etanol). Secam-se os cristais a vácuo.
Para identificação dos iões presentes, e verificação da síntese do composto pretendido, coloca-se num tubo de ensaio alguns cristais dissolvidos em 5 ml de água desionizada e observa-se a cor da solução.
Distribui-se a solução preparada por três tubos de ensaio mais pequenos e pesquisa-se os iões SO42- adicionando 3 a 4 gotas de nitrato de bário a um dos tubos. A formação de um precipitado branco indica a presença deste ião.
Noutro tubo de ensaio pesquisa-se a presença dos iões Al3+, adicionando-se gota a gota solução de NaOH. A formação de um precipitado branco gelatinoso que se dissolve com excesso de reagente indica a presença de iões Al3+.
Por fim , no terceiro tubo de ensaio pesquisa-se a presença dos iões K+ adicionando-se 3 a 4 gotas de solução de cobaltinitrito de sódio. A presença destes iões provoca a formação de um precipitado amarelo.
Como referenciar: reciclagem do alumínio in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-05-25 15:56:46]. Disponível na Internet: