Recordações da Casa Amarela

Filme estreado em 1989, cuja realização, argumento e interpretação são de João César Monteiro, cineasta controverso mas que, com esta obra singular, foi capaz de conquistar o Leão de Prata do Festival de Cinema de Veneza. Trata-se de uma película colorida, com a duração de 1h e 59m. A Invicta Filmes assumiu a produção. José António Loureiro foi o responsável pela fotografia. Manuela de Freitas, Ruy Furtado, Sabina Sacchi, Luís Miguel Cintra e outros atores completaram o elenco. As músicas de Schubert, Mozart e Vivaldi marcam o ritmo de uma narrativa autobiográfica passada no coração da cidade de Lisboa. João de Deus, a personagem encarnada, é expulso da casa de hóspedes onde habita há uma série de anos, na sequência de uma tentativa de violação da filha do proprietário. A partir daqui, o descalabro é total, e João de Deus acaba internado num hospital para doentes mentais. Através desta personagem, o realizador pretende expor ao ridículo os vícios da sociedade portuguesa. As Recordações da Casa Amarela revestem-se de um humor subtil e desmedido, próximo do absurdo que pretende criticar na realidade que representa.
Como referenciar: Recordações da Casa Amarela in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-09-23 03:57:41]. Disponível na Internet: