Refrão

Originalmente, corresponde a um fragmento melódico que funcionaria como remate da estrofe, ligado a ela pelo sentido, mas que estabelecia relativamente à estrofe uma rutura métrica ou musical. A regularidade estrófica impôs a reiteração como característica essencial desta célula melódica. O refrão, enquanto forma elementar de paralelismo, implica, na lírica galego-portuguesa, uma oposição formal entre cantigas de refrão, herdeiras de uma lírica autóctone, e cantigas de mestria, de influência provençal.
Como referenciar: Porto Editora – Refrão na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-10-19 04:53:13]. Disponível em