Rei Salomão

Filho do rei Davi e de Betsabé, foi o terceiro rei de Israel, governando entre cerca de 960 e 922 a. C., data da sua morte.
Do ponto de vista político o seu reinado não foi brilhante, uma vez que os israelitas perderam Edom e Damasco, mas manteve relações diplomáticas vigorosas, casando-se inclusive com uma princesa egípcia e estabelecendo um tratado com Hiram de Tiro. Manteve de igual modo contactos comerciais com outras zonas, possibilitando o advir de riquezas que tornaram Jerusalém numa corte semelhante a outras suas contemporâneas. Estes contactos, sobretudo com o Egito, devem ter facilitado a introdução de outras sabedorias e tradições, estimulando igualmente a compilação de tradições judaicas patentes no Pentateuco de Salomão.
O seu reinado ficará marcado também pela atividade construtora, nomeadamente de cidades, fortificações e do grande Templo de Jerusalém. Este local foi edificado mediante os planos tradicionais cananeus, com o intuito de ser santuário real, não anulando o papel dos restantes templos.
A morte de Salomão e as dificuldades entretanto sentidas no interior da nação aceleram a tensão Norte/Sul, que culminará com a criação dos dois reinos separados de Israel.
Como referenciar: Rei Salomão in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-20 17:23:28]. Disponível na Internet: