remo

O remo como desporto surgiu por volta do ano 1700, em Inglaterra, com as regatas realizadas no rio Tamisa, onde eram utilizadas barcaças compridas. A prova, idealizada por um ator irlandês, tem, ainda hoje em dia, um trajeto entre a Ponte de Londres e Chelsea. No entanto, antes de se transformar em desporto, o remo servia para deslocações, transporte e, até, para guerras.
O remo é um desporto que utiliza grande parte dos grupos musculares do corpo, nomeadamente pernas, abdominais, peito, costas e braços.
É em 1829 que o remo sofre um grande impulso, pois nesse ano teve lugar, em Inglaterra, a primeira edição da regata Oxford-Cambridge, competição que ainda hoje se disputa em Londres e que é uma referência a nível mundial. As universidades norte-americanas de Yale e Harvard imitaram as suas congéneres britânicas e criaram também uma prova em 1852. Em Portugal, o remo surgiu em 1856 através da criação da Associação Naval de Lisboa, mas só em 1920 foi fundada a Federação Portuguesa de Remo.
Em 1893, tiveram lugar os primeiros Campeonatos Internacionais, organizados, desde então até aos nossos dias, pela Federação Internacional das Sociedades de Aviron.
Três anos depois, tiveram lugar os primeiros Jogos Olímpicos da era moderna, mas as más condições climatéricas verificadas em Atenas impossibilitaram a realização das provas de remo. A estreia olímpica ficou, então, adiada para quatro anos depois, em Paris. As participantes femininas só começaram a ser aceites em 1976, na edição de Montreal (Canadá).
Hoje em dia, as regatas internacionais têm uma extensão de 2000 metros e são percorridas, consoante o tipo de barco, em tempos que variam entre os 5,20 e os 7,30 minutos. As provas Masters têm o comprimento de mil metros e são percorridas pelos melhores atletas em 2,50 ou cinco minutos.
As embarcações, todas de fibra de carbono, assim como os remos, podem ter 1, 2, 4 ou 8 remadores. As tripulações de 2 (duplo scull) e 4 (quadri-scull) remadores, onde cada um tem dois remos, podem levar ou não timoneiro, mas a presença de um destes elementos é obrigatória no shell de 8. Nesta embarcação, cada um dos oito remadores tem um remo. Nos barcos onde só vai um remador (o skiff, com dois remos) é dado o nome de remo de parelhos à tripulação.
O rumo dos quadri-scull é controlado por um leme de pé e nos skiff e double-scull o controlo é feito pela diferença de pressão entre o remo de bombordo e o de estibordo.
Os remadores são divididos em duas categorias consoante o seu peso. Há, assim, os ligeiros, onde o peso máximo permitido são os 72,5 quilos para homens e 59 quilos para mulheres e a classe livre, com a média de pesos a rondar os 92 quilos (masculino) e 79 (femininos).
Existem várias modalidades de remo, olímpicas e não olímpicas:
Rafting: modalidade desportiva a remo que consiste na descida de um rio com correntes fortes, a que vulgarmente se chama rio "selvagem", dentro de um barco insuflável.
Canoagem: navegação em rios (calmos ou agitados) ou lagos a bordo de uma canoa.
Remo de competição: Existem vários tipos de provas e vários tipos de embarcações para esta modalidade, podendo ser praticada por um a três atletas sem a presença do timoneiro, por quatro atletas com ou sem timoneiro e por quatro a oito atletas com timoneiro.
Como referenciar: remo in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-10-24 02:28:59]. Disponível na Internet: