República Centro-Africana

Geografia
País da África Central. Faz fronteira com o Chade, a norte, o Sudão, a nordeste e a leste, a República Democrática do Congo, a sul, a República do Congo, a sudoeste, e os Camarões, a oeste. As principais cidades são Bangui, a capital e o porto mais importante, com 687 100 habitantes (2004), Berbérati (66 900 hab.), Bouar (57 700 hab.), Bambari (52 300 hab.), Carnot (58 200 hab.) e Bossangoa (42 700 hab.). O país tem uma área de 622 984 km2, sendo mais de metade do território constituído por uma área florestal e ainda por uma grande extensão de savana.

Clima O clima é tropical húmido nas regiões meridionais e tropical seco nas áreas mais setentrionais.

Economia
Devido à existência de florestas em mais de metade da sua área e à grande extensão de savana, só 8% da terra é cultivável, praticando-se uma agricultura de subsistência. No entanto, possui grandes recursos minerais e os diamantes representavam, em 1995, 60% das exportações. Os produtos agrícolas, como o algodão, o café e o tabaco, são também exportados. Porém, a interioridade aumenta os custos de produção devido aos problemas de transporte, facto que faz diminuir a competitividade. Os principais parceiros comerciais da República Centro-Africana são a França, a Bélgica, o Japão e os Camarões.
Indicador ambiental: o valor das emissões de dióxido de carbono, per capita (toneladas métricas, 1999), é de 0,1.

População
A população, que em 2006 era de 4 303 356 habitantes, o que correspondia uma densidade muito baixa (5,7 hab./km2), é maioritariamente rural (61% em 1995) e apenas 18% têm acesso a água potável. As taxas de natalidade e de mortalidade são, respetivamente, de 33,91%o e 18,65%o. A esperança média de vida é de 43,54 anos. O valor do Índice do Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0,363 e o valor do Índice de Desenvolvimento ajustado ao Género (IDG) é de 0,352 (2001). Estima-se que, em 2025, a população seja de 4 922 000 habitantes. Os principais grupos étnicos são os Baya (24%), os Banda (23%), os Mandjia (15%) e os Ngbaka (8%). As religiões predominantes são o catolicismo (25%), o protestantismo (25%) e as crenças tradicionais (24%). As línguas oficiais são o francês e o sango.
Após três décadas de acidentados governos militares, o país passou a ter um governo civil em 1993. Desde março de 2003 que um golpe militar depôs o presidente Ange-Felix Patasse instituindo um novo governo.

História
Esta ex-colónia francesa, que alcançou a soberania política em 1960, é constituída por habitantes originários das comunidades fundadas nos séculos XVIII e XIX, quando os africanos vieram para o interior para fugir à escravatura, que se verificava no Norte e no Leste, formando aliás, um mosaico de diferentes grupos étnicos.
Como referenciar: República Centro-Africana in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-06-17 16:04:45]. Disponível na Internet: