República Dominicana

Geografia
País das Caraíbas. Ocupa 2/3 da ilha de Hispaniola, situada entre o mar das Caraíbas, a sul, e o oceano Atlântico, a norte. Faz fronteira com o Haiti, que ocupa a parte ocidental da ilha, e é separado de Porto Rico, a leste, pelo estreito de Mona. Tem uma superfície de 48 730 km2. As cidades mais importantes são Santo Domingo, a capital, com 2 252 400 habitantes (2003), Santiago (501 800 hab.), La Romana (198 000 hab.), San Francisco de Macorís (131 300 hab.) e San Pedro de Macorís (167 100 hab.). O território é montanhoso, com elevações que chegam a atingir 3175 metros de altitude.

Clima O clima é tropical húmido, com uma estação seca e outra muito quente e húmida, durante a qual podem ocorrer ciclones tropicais.

Economia
A economia da República Dominicana depende, quase exclusivamente, da produção e exportação de açúcar. A agricultura abrange ainda a produção do arroz, do café, da banana, do feijão, do coco, do cacau, da mandioca e do tabaco. Apesar de o incremento da agricultura implicar o derrube de florestas, manifesta-se uma relativa preocupação com a reflorestação do país, que atingiu 8% entre 1981-1990. A indústria extrativa baseia-se na exploração do ouro e da prata. A indústria abrange a produção de açúcar refinado, de fertilizantes, de cerveja, de rum e de cigarros. As exportações nacionais são dominadas pelo açúcar, pelo tabaco, pelo café e pelo cacau. Os produtos importados são os combustíveis e os produtos alimentares. Os principais parceiros comerciais da República Dominicana são os Estados Unidos da América, a Holanda, a Venezuela e o México.
Indicador ambiental: o valor das emissões de dióxido de carbono, per capita (toneladas métricas, 1999), é de 2,8.

População
A população era, em 2006, de 9 183 984 habitantes. As taxas de natalidade e de mortalidade são, respetivamente, de 23,22%o e 5,73%o. A esperança média de vida é de 71,73 anos. Estima-se que, em 2025, a população seja de 12 094 000 habitantes. As etnias maioritárias são a mestiça (73%), a branca (16%) e a negra (11%). A religião com maior expressão é a católica (91%). A língua oficial é o castelhano.

História
Depois do naufrágio de um dos navios da frota da primeira viagem de Cristóvão Colombo, em 1492, os marinheiros da embarcação fundaram a primeira colónia europeia do continente americano, a que chamaram La Navidad. Mas a maior parte dos colonos partiu para o México, para o Panamá e para o Peru à procura de fortuna. Passados cinquenta anos de colonização espanhola, tinham morrido 300 000 índios, vítimas de chacinas e de doenças trazidas pelos colonos europeus. Em 1697, a parte ocidental da ilha foi cedida à França e, mais tarde, tornou-se no Haiti. Depois de violência, de surtos de domínio francês e haitiano, a República Dominicana obteve a independência em 1865. Nos cinquenta anos seguintes, houve vinte e oito revoluções e trinta e cinco governos. Entre 1916 e 1924, os EUA ocuparam o país com o objetivo de manter a estabilidade. O país foi governado por ditadores até se transformar uma democracia, em 1966, depois de um segundo desembarque norte-americano. Atualmente, o país é governado por um presidente que é assistido pelo Senado e pela Câmara dos Deputados.
Como referenciar: República Dominicana in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-07-04 16:53:36]. Disponível na Internet: