retrato

Considera-se retrato a representação visível (geralmente provisória) de pessoa, pela pintura, pelo desenho, pela fotografia, pela escrita ou através da oralidade. Como modo de expressão literária, o retrato constitui uma forma de descrição de pessoa ou coisa. Por vezes, aplica-se o termo à descrição de um ambiente ou época.
O retrato, enquanto descrição oral ou escrita, tal como sucede na pintura ou na fotografia, deve reproduzir não apenas a fisionomia ou as poses sobre um cenário, mas captar o carácter, a personalidade e a alma refletidos no olhar, nas feições, no gesto, na figura.
A retratística surge desde a antiguidade não apenas como género pictórico e escultórico, mas também a nível da escrita. Com o Renascimento e a valorização do ser humano na sua individualidade, o retrato adquiriu bastante importância, sendo possível encontrar diversos príncipes, clérigos, nobres e burgueses a deixarem-se retratar. São retratos individuais, cuja função maior era mostrar a posição social da pessoa, mas há também os retratos de grupo para caracterizar a base social do estado, com retratos de casais e de grupos familiares ou de grupos sociais. Nos retratos individuais, observam-se focagens ou descrições que podem incidir sobre o indivíduo de corpo inteiro ou apenas em partes do corpo, nomeadamente na parte superior, apresentando ângulos diversos, em poses típicas de perfil ou frontal. Com a descoberta da fotografia, no século XIX, o retrato pictórico perdeu algum valor por aquela poder representar com mais fidelidade o indivíduo. É também nesse século que se observa, na escrita, a passagem do retrato romântico - vaporoso, diáfano e idealizado - para o retrato realista e naturalista - objetivo, pormenorizado, preocupado com a personalidade e o carácter.
Como referenciar: retrato in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-24 20:49:24]. Disponível na Internet: