Ricardo Reis

Personagem da obra O Ano da Morte de Ricardo Reis (1984) de José Saramago.
Homem "grisalho, seco de carnes", "idade quarenta e oito anos, natural do Porto, estado civil solteiro, profissão médico," Ricardo Reis regressa do Brasil, onde permanecera durante dezasseis anos, assim que tem conhecimento da morte de Fernando Pessoa. Hospedado no Hotel Bragança e fazendo várias deambulações pela Lisboa dos anos 30, durante cerca de oito meses, Ricardo Reis vai ter como confidente o defunto Fernando Pessoa e manter uma dupla relação amorosa com duas das figuras femininas evocadas nas suas odes, Lídia e Marcenda. Personagem reconstruída a partir da reflexão sobre um ser fictício e só de existência literária, o heterónimo de Fernando Pessoa, Ricardo Reis conjuga, na sua caracterização, alguns dados biográficos fornecidos pelo seu criador, com outros sugeridos pela sua obra poética e com muitos outros puramente conjeturais. Ao mesmo tempo, a formulação desta personagem, pela mão de José Saramago, nasce da hipótese de uma correlação entre certa "poetização da ordem" ("a agitação dos homens é sempre vã, os deuses são sábios e indifierentes, vivem e extinguem-se na própria ordem que criaram. [...] Acima dos deuses está o destino. O destino é a ordem suprema") que emana da poética deste "senhor doutor contrário às revoluções" e o ano de 1936, fielmente evocado neste romance, enquanto momento de fortalecimento da ditadura salazarista, de que a abortada revolta da Marinha é um exemplo.
Como referenciar: Ricardo Reis in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2021. [consult. 2021-04-22 14:36:53]. Disponível na Internet: