Richard Brooks

Realizador norte-americano nascido a 18 de maio de 1912, de seu nome verdadeiro Ruben Sax. Antes de ter ingressado no mundo do cinema, exerceu as profissões de jornalista e romancista. Começou por ser argumentista nos estúdios da MGM e da Warner, tendo assinado o guião do clássico Key Largo (Paixões em Fúria, 1948). Iniciou-se como realizador em 1950 quando dirigiu o melodrama Crisis sobre um médico americano (Cary Grant) retido num país da América do Sul e obrigado a tratar o seu ditador (Jose Ferrer). O seu primeiro grande êxito comercial foi The Blackboard Jungle (Sementes de Violência, 1955), onde aborda a delinquência juvenil em Nova Iorque. Em seguida, rodou duas adaptações de peças teatrais de Tennesse Williams: Cat on a Hot Tin Roof (Gata em Telhado de Zinco Quente, 1958) e Sweet Bird of Youth (Corações na Penumbra, 1962), alternando-as com Elmer Gantry (O Falso Profeta, 1960), um drama sobre um charlatão (Burt Lancaster numa atuação premiada com um Óscar) que se torna um evangelista ambulante que tira partido da fé das pessoas. Por este filme, Brooks recebeu o Óscar para Melhor Argumento Adaptado. A partir daí, somou sucessos de bilheteira como Lord Jim (1965), The Professionals (Os Profissionais, 1966), In Cold Blood (A Sangue Frio, 1967) e The Happy Ending (Amar Sem Amor, 1969) A partir da década de 70, a sua estrela empalideceu um pouco, acumulando sucessivos desaires comerciais. O seu derradeiro filme foi Fever Pitch (A Febre do Jogo, 1985). Morreu a 12 de março de 1992.
Como referenciar: Richard Brooks in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-11 14:57:06]. Disponível na Internet: