Richard Condon

Escritor norte-americano, Richard Thomas Condon nasceu a 18 de março de 1915, na cidade de Nova Iorque, e faleceu a 9 de abril de 1996, em Dallas.
Estudou em instituições privadas, passando a trabalhar na Marinha Mercante norte-americana.
Abandonando a carreira, esteve depois ligado a uma agência de publicidade, mas por um curto período de tempo. Em 1936 passou a desempenhar as funções de especialista em relações públicas para diversas companhias cinematográficas, entre as quais a Walt Disney Productions e a Twentieth-Century Fox, profissão que manteve durante vinte e um anos.
Entre 1951 e 1952, enquanto trabalhava como encenador em Nova Iorque, escreveu a sua primeira peça de teatro, Men of Distinction, que estreou em 1953, e que levou Condon a prescindir do seu cargo de vice-presidente da companhia radiofónica RKO-Radio Pictures. Nessa década de 50, Condon mudou-se com a família para Paris, passando o resto da sua vida entre a Espanha, a Irlanda e a Suíça.
Em 1958 publicou o seu primeiro romance, The Oldest Confession, e em 1962 seria a vez de The Manchurian Candidate, talvez o seu romance mais conhecido. A obra conta a história de um soldado que regressa da Guerra da Coreia, onde esteve prisioneiro de guerra, e que, embora receba uma medalha por bravura, foi submetido pelos chineses a uma lavagem ao cérebro. O subconsciente do soldado foi condicionado a responder a uma determinada sequência, cujo propósito é o assassinato do presidente dos Estados Unidos da América. A obra deu lugar a uma versão cinematográfica, em 1962, que chegou a ser proibida em alguns países da Europa.
Na década de 60, Condon publicou bastantes obras, das quais se destacam Talent For Loving (1964), An Infinity of Mirrors (1964) e The Ecstasy Business (1967).
Em 1974 tornou a fazer parte das listas de sucessos de vendas com a publicação de Winter Kills, do qual foi também feito um filme, mas que circunstâncias estranhas impediram de estrear: um dos produtores foi assassinado e o outro condenado a quarenta anos de prisão por consumo de estupefacientes. A obra fazia insinuações pouco convencionais sobre o caso Kennedy.
Em 1982 apareceu o primeiro volume da saga da família mafiosa Prizzi, com o título Prizzi's Honour, filmado em 1985 com as participações de Jack Nicholson e Kathleen Turner. Seguiram-se-lhe Prizzi's Family (1986), Prizzi's Glory (1988) e Prizzi's Money (1994).
Em 1990 publicou um romance desconcertante, Emperor of América, em que a Casa Branca de Washington é destruída por um engenho nuclear, passando os Estados Unidos a ser governados por um coronel do exército que se proclama Imperador Caesare I.
Como referenciar: Porto Editora – Richard Condon na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-10-25 11:35:58]. Disponível em