Richard Dreyfuss

Ator norte-americano, Richard Dreyfuss nasceu a 29 de outubro de 1947, no bairro nova-iorquino de Brooklyn. Com nove anos, mudou-se com os seus pais para Los Angeles, onde se estrearia em teatro em 1957. Em 1964, foi chamado para desempenhar um pequeno papel na série televisiva Karen. Estreou-se no cinema com um papel de uma fala em The Graduate (A Primeira Noite, 1967). Com o desencadeamento do movimento hippie, mudou-se para San Francisco. Recusou-se a ser incorporado no exército americano que combatia nas selvas do Vietname, alegando estatuto de objetor de consciência. Depois de cumprir uma pena de dois anos de serviço cívico num hospital, resolveu apostar na sua carreira de ator. Voltou a atuar em séries televisivas, até que o realizador John Millius o resgatou para ocupar o papel do gangster Babyface Nelson em Dillinger (1973). Apesar do papel secundário, Dreyfuss impressionou os críticos pelo vigor da sua interpretação. Mas a sua rampa de lançamento seria American Graffiti (Nova Geração, 1973) de George Lucas. A sua interpretação de adolescente inadaptado valeu-lhe uma nomeação para o Globo de Ouro. A sua afirmação fez-se quando Steven Spielberg o convidou para protagonizar dois filmes que foram êxitos de bilheteira e fariam história: Jaws (Tubarão, 1975) e Close Encounters of the Third Kind (Encontros Imediatos do Terceiro Grau, 1977). O ano de 1977 marcou a sua consagração, ao ser o ator mais novo de sempre a vencer o Globo de Ouro e o Óscar para Melhor Ator por The Goodbye Girl (Não Há Duas Sem Três, 1977). A sua personificação de ator arrogante em busca de trabalho, que aceita fazer uma adaptação gay da peça Ricardo III de Shakespeare, permitiu-lhe suplantar na noite dos Óscares intérpretes mais consagrados como Richard Burton e Woody Allen. O seu estatuto de galardoado permitiu-lhe aceitar desafios como interpretar um pianista virtuoso em The Competition (Um Amor em Competição, 1980) e um tetraplégico em Whose Life is it Anyway? (De Quem É a Vida Afinal?, 1981). Contudo, a imagem de Dreyfuss foi afetada com a publicitação do seu alcoolismo e dependência de drogas. Depois de um acidente de viação ocorrido em 1983, quando guiava debaixo da influência de alucinogéneos, dedicou-se a um longo processo de desintoxicação. Regressou em força para protagonizar a comédia Down and Out in Beverly Hills (Um Vagabundo na Alta Roda, 1986), cujo percurso comercial se revelou medíocre. Contudo, reencontrou-se com o sucesso com a comédia policial Stakeout (Debaixo de Olho, 1987). Spielberg voltou a apostar nele para o melodrama Always (Sempre, 1989) onde encarnou um piloto especialista em apagar fogos florestais, que depois de falecer num desastre regressa em forma de fantasma para proteger a sua namorada (Holly Hunter). No início da década de 90, dedicou-se quase exclusivamente ao teatro (em 1992, levou à Broadway a peça Death and the Maiden) e à produção de filmes como Quiz Show (1994). No ano seguinte, voltou a impressionar as plateias pela sua enérgica performance como compositor que tem a seu cargo um filho surdo e que decide ensinar música a jovens em Mr. Holland's Opus (O Professor, 1995), que lhe valeu uma nomeação para o Óscar de Melhor Ator. Desde então, tem-se dedicado à produção de séries documentais e participado em telefilmes.
Como referenciar: Richard Dreyfuss in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-05-25 02:29:05]. Disponível na Internet: