Richard Harris

Ator irlandês, Richard St. John Harris nasceu a 1 de outubro de 1930, na aldeia de Limerick, proveniente de uma família de abastados lavradores. O seu físico imponente levou-o a enveredar por uma carreira de jogador de rugby, mas a tuberculose levou-o a abandonar intentos de profissionalização. Partiu então para Londres, onde se matriculou na Academy of Music and Dramatic Arts. Em 1953, alugou o Irving Theater onde montou e dirigiu a peça Winter Journey, que esteve seis semanas em exibição. Continuou a sua carreira nos palcos até ser chamado para desempenhar um pequeno papel no filme Alive and Kicking (1959). Em inícios da década de 60, tornou-se um dos intérpretes mais requisitados pelos realizadores britânicos, atuando em títulos como A Terrible Beauty (1960), Guns of Navarone (Os Canhões de Navarone, 1961) e Mutiny on the Bounty (Revolta na Bounty, 1962). O seu papel de mineiro que se torna um possante jogador de rugby em This Sporting Life (Jogador Profissional, 1963) valeu-lhe uma nomeação para o Óscar de Melhor Ator e definiu a sua imagem enquanto intérprete duro e desafiador das regras convencionais. Mudou-se para Hollywood, onde entrou em filmes como Major Dundee (1965), The Heroes of Telemark (Os Heróis de Telemark, 1965), The Bible (A Bíblia, 1966) e Camelot (1967). Obteve enorme sucesso com o seu personagem de John Morgan, um aristocrata inglês torturado por índios Sioux em A Man Called Horse (Um Homem Chamado Cavalo, 1970). Apesar da violência de algumas cenas, o filme foi um êxito e catapultou a carreira de Harris. Contudo, o ator travava uma batalha contra o alcoolismo e a dependência das drogas, o que afetou bastante a sua credibilidade em Hollywood. Em 1978, quase morreu devido a uma overdose de cocaína no intervalo das rodagens de The Wild Geese (Gansos Selvagens, 1978). Foi então que o seu amigo Richard Burton lhe pediu para o substituir no papel de rei Artur nos últimos dois meses de exibição da peça Camelot na Broadway. A peça ganhou nova vitalidade e permaneceu em cena até 1983. Voltou então aos palcos da Grã-Bretanha e, em 1990, não resistiu a um convite do realizador Jim Sheridan para interpretar um agricultor irlandês que se recusa a abandonar uma quinta em The Field (Esta Terra É Minha, 1990). A força e a fleuma que emprestou à personagem valeu-lhe nova nomeação para o Óscar de Melhor Ator. A partir daí, continuou a aparecer regularmente em filmes de êxito, colecionando um conjunto de personagens que honraram ainda mais o seu rico currículo. Foi magistral a sua interpretação de envelhecido pistoleiro inglês em Unforgiven (Imperdoável, 1992), assim como o seu retrato de pescador cubano que luta contra a senilidade do seu corpo e do seu espírito em Wrestling Ernest Hemingway (1993). Em Gladiator (Gladiador, 2000), passeou a sua classe na composição de um frágil imperador Marco Aurélio assassinado às mãos do seu filho Commodus. Mas o público infantil recordá-lo-á pela personagem do feiticeiro Albus Dumbledore em Harry Potter and the Sorcerer's Stone (Harry Potter e a Pedra Filosofal, 2001) e Harry Potter and the Chamber of Secrets (Harry Potter e a Câmara dos Segredos, 2002). Faleceu em Londres, a 25 de outubro de 2002, vítima da doença de Hodgkin, pouco após ter terminado as rodagens da minissérie Julius Caesar (2002).
Como referenciar: Richard Harris in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-19 22:45:44]. Disponível na Internet: