Richard Strauss

Compositor romântico alemão Richard Georg Strauss nasceu em 1864, em Munique, Alemanha, e morreu em 1949, em Garmisch-Partenkirchen. Seguiu sempre um estilo muito pessoal, caracterizado pela orquestração arrojada. Os poemas sinfónicos e as óperas que compôs tornaram-se um modelo a seguir ao longo do século XX.
Iniciou os seus estudos musicais com o pai, Franz Strauss, que era músico da Orquestra da Corte de Munique. Durante a educação convencional que teve, dedicou bastante tempo à música. Quando terminou a escola, em 1882, já tinha composto 140 trabalhos. Nessa altura, começou a contactar com vários compositores e, em pouco tempo, passou a ser uma figura importante no campo musical europeu da época. Destacou-se pelos poemas sinfónicos que compôs, nomeadamente Don Juan (1889), Till Eulenspiegel's Merry Pranks (1895) e Also Sprach Zarathustra (1896), e pelas óperas Guntram (1892-94), Feursnot (1900-01), Salome (1903-05) Elektra (1906), Ariadne auf Naxos (1912), Die Frau Ohne Schatten (1919) e Die Ägyptische Helena (1928).
Strauss foi bastante influenciado por Richard Wagner, por Berlioz e por Liszt, embora a sua harmonia se aproxime mais da atonalidade. Nos últimos trinta e oito anos de vida, dedicou-se a refinar o seu estilo musical. Acabou por conseguir fazer a fusão entre o fim do romantismo alemão e o período neoclássico, especialmente na ópera Capriccio. Mas a sua maior característica é o facto de se ter afastado, progressivamente, da fé e da teologia, dando a primazia à razão e à filosofia.
Como referenciar: Richard Strauss in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-03-30 10:44:19]. Disponível na Internet: