Rider Haggard

Escritor inglês, Henry Rider Haggard nasceu a 22 de junho de 1856, em West Bradenham Hall, no Norfolk. Filho de uma escritora amadora e de um advogado e proprietário rural, não muito confiante nas capacidades intelectuais do filho, frequentou uma escola onde lhe eram dadas aulas a título privado. Após ter concluído os seus estudos secundários na Ipswich Grammar School, tentou alistar-se no exército, mas foi declarado inapto para o serviço militar.
Em 1875 partiu para a África do Sul na qualidade de secretário do governador da colónia de Natal. Embora partidário do colonialismo britânico, não deixou de tomar contacto com a cultura Zulo (do quicongo zulu, «céu»), chegando mesmo a ter um relacionamento amoroso com uma mulher africana dois anos após a sua chegada, foi promovido a membro do alto-comissariado e, por volta de 1878, a escrivão-mestre do Supremo Tribunal do Transvaal.
Estabeleceu então uma quinta de criação de avestruzes e, como era costume na época, foi a Inglaterra procurar uma noiva. Casou pois com uma herdeira abastada, com quem regressou à África do Sul. Não obstante, na Primeira Guerra dos Boers, combatida entre 1880 e o ano seguinte, foi cedido o Transvaal aos holandeses, despojando Rider Haggard da sua empreitada pecuária. Regressou definitivamente a Inglaterra, onde começou a estudar Direito, conseguindo a licenciatura em 1884. Se já antes havia publicado um estudo sobre História de África, alguns tratados de Agronomia e uns quantos romances não muito bem sucedidos, o aparecimento de King Solomon's Mines (As Minas do Rei Salomão) em 1885 tornou-o num escritor célebre. Grande sucesso de vendas, a obra contava a história de um grupo de caçadores de tesouros em busca de uma mina de diamantes.
Entusiasmado com o resultado do seu esforço, deu seguimento ao género do romance de aventuras com She (She, 1887), cuja ação decorre nas terras africanas, nos confins do mundo perdido de Kôr, governado por uma rainha branca, cuja beleza inigualável ofusca os seus dois mil anos de idade. Obtendo o mesmo reconhecimento, conseguiu atingir um ritmo de escrita bastante prolífico, publicou ao longo da sua vida quase meia centena de volumes, entre os quais se podem destacar Heart Of The World (1895), The Wizard (1896), The Way Of The Spirit (1906), Moon Of Israel (1918), The Virgin Of The Sun (1922) e Allan And The Ice Gods (1927). As suas obras caracterizam-se geralmente por uma narrativa empolgante onde abundam os acontecimentos estranhos, e por descrições evocativas de sociedades tribais, vida animal e paisagens tão exóticas como o México ou a Islândia. Alguns dos seus romances de aventuras foram convertidos para o cinema, como King Solomon's Mines, em 1985.
Em 1891 teve um grande desgosto com a morte do filho, e em 1895 candidatou-se ao Parlamento, não chegando a ser eleito. Em 1912 foi investido cavaleiro e em 1919 Cavaleiro Comendador do Império Britânico, como recompensa pelos serviços que, durante esses anos, prestou como conselheiro em assuntos agrícolas e coloniais.
Sir Rider Haggard faleceu a 14 de maio de 1925 em Londres.
Como referenciar: Rider Haggard in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-10-20 10:32:20]. Disponível na Internet: