Rio Cávado

Rio que nasce na serra do Larouco, a uma altitude de cerca de 1520 metros, e que desagua no oceano Atlântico, junto a Esposende, após um percurso de 118 quilómetros. Tem uma orientação aproximada este-oeste.


A bacia hidrográfica do rio Cávado é limitada, a norte, pela bacia hidrográfica do rio Lima e, a este e sul, pelas bacias dos rios Douro e Ave; tem uma área de 1600 km 2 . O escoamento anual na foz do rio é, em média, de 2123 hm 3 .

Estima-se que a bacia hidrográfica do rio Cávado apresente uma capacidade total de armazenamento de recursos hídricos na ordem dos 1180 hm 3 , em regime regularizado, valor que corresponde a quase 30 % do total existente em Portugal.


Os seus principais afluentes são o rio Homem, na margem direita, com um comprimento de 45 quilómetros, que nasce na serra do Gerês e drena uma área de 257 Km 2 , e o rio Rabagão, na margem esquerda, com um comprimento de 37 quilómetros, que nasce entre as serras do Barroso e do Larouco e drena uma área de 246 Km 2 .

Na bacia hidrográfica do Cávado construíram-se algumas barragens para aproveitamento hidroelétrico. As mais importantes são: Paradela, Salamonde e Caniçada, no rio Cávado; Alto Rabagão e Venda Nova, no rio Rabagão; e Vilarinho das Furnas, no rio Homem.

Devido às características topográficas da bacia hidrográfica do Cávado e aos elevados escoamentos dos rios principais, os volumes de água armazenados destinam-se, na maior parte dos casos, a uma regularização intra-anual, transferindo água dos períodos húmidos para os períodos secos.

Destaca-se, pelo seu volume, a albufeira do Alto Rabagão, cuja função principal é de regularização interanual, constituindo assim uma importante reserva estratégica de água.

 

Como referenciar: Rio Cávado in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-04-04 03:07:34]. Disponível na Internet: