Roberto Minczuk

Maestro e compositor brasileiro, Roberto Minczuk nasceu em 1967, em São Paulo, Brasil. Aos 7 anos começou a estudar música, por influência do pai. Aos 13 anos, já era a trompa principal da Orquestra Sinfónica Municipal de São Paulo, sendo convidado, em 1981, pelo compositor Peter Mennin, a estudar na Juilliard de Nova Iorque, com uma bolsa de estudos. Dois anos depois, estreava-se no Carnegie Hall, como solista da New York Youth Symphony. No ano seguinte, no âmbito de um festival de revelações, tocaria o Concerto para Trompa n.º 2, de Mozart, com a prestigiada New York Philarmonic. Em 1985, ganharia o primeiro prémio do Eldorado Music Competition, patrocinado pela General Motors do Brasil. Na ocasião, interpretou peças de Haydn e Mozart. Na Academia Juilliard, estudou com Harry Berv (da secção de metais da NBC Symphony) e James Chambers, a trompa liderante da New York Philharmonic. Após a conclusão desses estudos, em 1987, integrou a Leipzig Gewandhaus Orchestra, até 1989.
Ao regressar ao Brasil, estuda direção de orquestra com Eleazar de Carvalho e, depois, com John Neschling. Em 1994, é nomeado diretor artístico da Orquestra da Universidade de Brasília e, no ano seguinte, assume o mesmo posto na Sinfónica de Ribeirão Preto. A partir de 1997, é diretor artístico associado de uma das mais prestigiadas orquestras da América do Sul, a Sinfónica Estatal de São Paulo. Em novembro de 1997, como maestro convidado, dirige a orquesta do Teatro Massimo, de Palermo, numa temporada de nove concertos, na Sicília. Além desses trabalhos, apresentou La Cenerentola, de Rossini, em São Paulo e L'Elisir D'Amore, de Donizetti, em Ribeirão Preto. No ano seguinte, Roberto Minczuk conduziu a New York Philharmonic, numa temporada, com uma célebre atuação de Mirabai Songs, de John Harbison, no Mervin Hall, em Nova Iorque. Em 2002, seria convidado para a posição de maestro associado dessa prestigiada orquestra.
Em 2004, seria agraciado com o Grammy latino para o Melhor Álbum Clássico com o seu primeiro CD, o título Jobim Sinfónico. Ainda nesse ano, seria nomeado para um Emmy, pelo programa New York City Ballet - Lincoln Center Celebrates Balanchine 100, transmitido ao vivo pela CBS, para o território americano. Nos anos seguintes, gravaria, com a Filarmónica de Londres, pelo selo Naxos, obras de Ravel, Piazzolla, Martin e Tomasia e, com a Sinfónica de São Paulo, pela BIS, a peça Bachianas Brasileiras.
Discografia
2004, Jobim Sinfónico
Como referenciar: Porto Editora – Roberto Minczuk na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-12-05 13:34:14]. Disponível em