Roma

Aspetos Geográficos

Roma é a capital e a maior cidade de Itália. Está localizada na costa oeste da península itálica, próximo do mar de Tirreno, nas margens do rio Tibre. Em 2004, contava com cerca de 2 453 100 habitantes. A cidade sofreu uma explosiva taxa de crescimento, que gerou dois problemas: a falta de planeamento e o trânsito caótico. Possui mais de 10 quilómetros de largura, sem contar com os bairros de lata que se desenvolvem em seu redor.
O natural ou habitante de Roma denomina-se romano.
História e Monumentos

A cidade, fundada, de acordo com a tradição, por Rómulo, deus romano da guerra, foi edificada em 753 a. C. sobre sete colinas e rodeada pela Muralha Aureliana. Mas existem provas arqueológicas da existência de ocupação humana anterior, datada da Idade do Ferro, mais precisamente de meados do século XIII a. C.. A sua história subdivide-se em dois períodos: os três primeiros séculos do Império Romano, entre 27 e 300 d. C., e os três séculos do Renascimento e do Barroco, entre 1450 e 1750. A Roma antiga era um reino e possuía um senado e um conselho de anciãos que elegia os monarcas. Nos séculos VII e VI a. C. estiveram no poder reis etruscos e tornou-se numa república em 510 a. C.. No século IV a. C. foi muralhada. Com o imperador Júlio César, a cidade sofre ampliações, criando-se o Fórum de César. Este fórum foi completado por Augusto, que também construiu o seu próprio fórum – o Fórum de Augusto. Roma torna-se o centro do Império e correspondia a uma grande aglomeração, que dispunha de abastecimento de água e bombeiros. No entanto, em 64 d. C. sofre um grandioso incêndio. Entre 69 e 96 d. C. desenvolve-se um programa de obras públicas e foi construído o Coliseu. Os espetáculos gratuitos no Coliseu e nos teatros e a distribuição de alimentos foram a forma que a dinastia Flávia encontrou para se manter no poder. No século III foi levantada outra muralha e no século IV os banhos termais e as bibliotecas eram uma constante na cidade. Com a fundação de Constantinopla, Roma sofre a decadência e foram construídas as primeiras basílicas cristãs, como a de S. Pedro. Nos anos 400 d. C. foi saqueada pelos povos germânicos e sucessivamente ocupada por outros, como os Árabes, no século IX. A sua população diminui consideravelmente com as sucessivas destruições. Após a queda do Império Romano, a cidade vive dez séculos de devastação. No século XV os papas levaram para a cidade de Roma o vigor do Renascimento. Restauram-se igrejas e muralhas e muitos artistas, como Miguel Ângelo, trabalham para os papas. A cidade expandiu-se consideravelmente no século XIX para o exterior da muralha, tornando-se capital em 1871. Em 1929, o Vaticano passou a ser um enclave independente. Com o ditador Benito Mussolini, a cidade foi alvo de profundas remodelações. O objetivo era recriar as gloriosas paisagens da Roma antiga. Muitos bairros antigos foram demolidos e em seu lugar foram abertas amplas avenidas. Durante a Segunda Guerra Mundial foi bombardeada várias vezes e com o final do conflito cresceu consideravelmente.
Os monumentos romanos mais significativos são o Panteão, datado do século 27 a. C.; o Coliseu, que começou a ser construído no ano 70 e que corresponde a um anfiteatro onde decorriam lutas entre gladiadores e outros espetáculos; o Fórum Romano, é um antigo centro religioso e de comércio; o Castelo de S. Ângelo, onde está enterrado o imperador Adriano; as basílicas de S. João, de S. Pedro e de S. Paulo e a Catedral de Roma, fundada no século IV. Vários edifícios da cidade de Roma, de inconfundível valor histórico, foram classificados Património Mundial.

Aspetos Turísticos e Curiosidades

Entre os locais de interesse, destacamos o Vaticano; a Piazza Campidoglio, planeada por Miguel Ângelo; a Escadaria Espanhola, de 1725; a Igreja de Trinità dei Monti, dos séculos XV e XVI; a Villa Borghese, do século XVII; a Via Appia Antica, principal estrada romana para o sul do país e que foi construída no século III a. C.; os Arcos de Tito e Constantino e a Fonte de Trevi, barroca do século XVIII, à qual as pessoas atiram moedas, para assegurar o seu regresso à cidade. Nas Termas de Caracalla decorrem espetáculos durante o verão. As Catacumbas, onde se refugiavam os cristãos para praticar a sua religião, são também de grande interesse.
Os museus da cidade reúnem coleções de arte e ciência das mais prestigiadas do Mundo. São de sublinhar o Museu do Capitólio, que encerra coleções de arte romana; o Museu Nacional de Villa Giulia, situado na casa de verão do Papa, que reúne coleções romanas e etruscas; a Galeria Borghese, que expõe coleções de pintura e escultura; o Museu Nacional Romano, desenhado por Miguel Ângelo, que encerra coleções de esculturas gregas e romanas; o Palácio de Farnesio, do século XVI; o Palácio de Veneza, do século XV; o palácio barroco de Berini, do século XVII, que corresponde a uma pinacoteca, e o Palácio dos Conservadores, onde se pode ver a famosa escultura da Loba Capitolina evocada na lenda da fundação da cidade.
Roma está subdividida em dois setores: o interior, delimitado pela muralha de Aurélio, e o exterior, que corresponde aos bairros que se localizam na periferia. A Praça de Veneza é o centro geográfico da cidade. O coração da área turística corresponde à via Vittorio Véneto. O maior parque público de Roma são os Jardins de Pincio, a norte da colina capitolina, que foi durante muito tempo a sede do governo de Roma. O centro histórico situa-se nas margens do rio Tibre, onde se encontram os monumentos mais significativos da Roma antiga.

Economia

As suas principais funções são a política, a administrativa, a turística, a comercial, a cultural e a educativa. É aqui que se encontram as sedes de diversas organizações internacionais, como, por exemplo, a FAO (Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação).
As suas indústrias são variadas. A mais tradicional é a têxtil, mas existem indústrias de alta-costura, de imprensa, alimentar, de medicamentos, de maquinaria, de artigos de papel, de metal e cinematográfica.
É aqui que se centralizam os transportes ferroviários e rodoviários. Possui um aeroporto internacional - Leonardo da Vinci. Existem várias universidades: a de Roma, fundada no século XIV; a Internacional Independente de Estudos Sociais e outras, dependentes da Igreja Católica. Possui várias academias, como a de Belas-Artes, a Nacional de Bailado e a Nacional de Arte dramática, um conservatório de música, um instituto de restauro de obras de arte e uma casa de ópera, que é uma das maiores de Itália. Existem na cidade mais de 20 teatros e seis grandes auditórios de música.
Como referenciar: Roma in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-02-23 20:03:19]. Disponível na Internet: