S. Pio X

Papa e grande reformador da Igreja, nascido José Melchior Sarto a 2 de junho de 1835, em Riese, na província de Treviso, no Véneto, numa família modesta, morreu a 20 de agosto de 1914, provavelmente em Roma. Estudou no seminário de Pádua, onde terminou com distinção os seus estudos clássicos, filosóficos e teológicos. Ordenado sacerdote em 1858, foi capelão de Tombolo durante nove anos, assumindo as funções da direção da paróquia dada a doença do pároco. Durante este período aperfeiçoou os seus estudos teológicos, estudando São Tomás de Aquino, e o Direito Canónico. Fundou ainda uma escola noturna para adultos e pregou em muitas cidades antes de ser nomeado arcipreste de Salzano, na diocese de Treviso, onde restaurou a igreja e custeou a ampliação do hospital, ao mesmo tempo que prestava ajuda aos pobres, sendo famosa a sua especial dedicação durante um período de cólera. Nomeado cónego da catedral de Treviso em 1875, ocupou vários cargos e possibilitou que os alunos das escolas públicas tivessem educação religiosa. Em 1884, foi nomeado bispo de Mântua e ocupou-se da instrução do clero e do seminário onde ensinou teologia dogmática durante muitos anos, com especial incidência na doutrina e no método de São Tomás de Aquino, que queria ver seguido, dando cópias da Summa theologica a muitos alunos pobres. Cultivou o Canto Gregoriano juntamente com os seminaristas e foi defensor da organização católica Opera dei Congressi. Em 1893, Leão XIII nomeou-o cardeal com o título São Bernardo alle Terme e apenas três dias mais tarde foi nomeado Patriarca de Veneza, mantendo o título de Administrador Apostólico de Mântua. Em 1903 foi eleito Papa com 55 votos, tomando o nome de Pio X. A sua primeira Encíclica versou sobre os interesses da Igreja, encorajando a piedade entre os fiéis que exortou a receber a Santa Comunhão, se possível diariamente. Pelo Decreto Quam Singulari recomendou que as crianças recebessem a primeira comunhão logo que atingissem a idade da discrição. Por ocasião do 50.º Aniversário da proclamação do dogma da Imaculada Conceição, aproveitou para proclamar a devoção a Maria, organizando um Congresso Mariano e a coroação da imagem da Imaculada Conceição, no coro de São Pedro, com grande solenidade.
Enquanto simples capelão e bispo foi um impulsionador da música sagrada e como Papa publicou, em 1903, um Motu Proprio sobre música sacra nas igrejas, ordenando que o autêntico Canto Gregoriano fosse utilizado em toda a parte, ao mesmo tempo que mandava imprimir os livros dos coros sob a supervisão de uma comissão especial. Na encíclica Acerbo nimis, de 1905, chamou a atenção para a necessidade da instrução da catequese tanto para crianças como para adultos, publicando um novo catecismo para a Diocese de Roma. Numa Encíclica de 1906 ao episcopado, exigia o maior cuidado na ordenação dos padres, chamando a atenção dos bispos para a atitude de independência, frequente entre o clero jovem, que ameaçava a disciplina eclesiástica. Relativamente aos seminários italianos, ordenou que fossem visitados pelos bispos, estabelecendo uma nova ordem de estudos que já estava a ser aplicada no seminário de Roma.
Prezando acima de tudo a pureza da fé, Pio X apontou os perigos dos novos métodos teológicos, baseados no agnosticismo e no imanentismo, condenando as críticas subversivas às Sagradas Escrituras e às origens do Cristianismo. Critica o modernismo em relação à filosofia, apologia, exegese, história, liturgia e disciplina, mostrando a contradição entre aquela inovação e a fé antiga. Sugere regras para combater estes perigos e propõe meios de censura de livros e um Comité de Vigilância. Criou o Instituto Bíblico, sob a direção dos Jesuítas, para o estudo ortodoxo da Bíblia, que considerava o mais importante mas o mais perigoso em teologia. Em 1904, Pio X criou uma congregação especial de cardeais para a codificação do Direito Canónico, na qual participaram as maiores autoridades a nível mundial.
Durante o seu pontificado foram criadas 38 novas dioceses, sobretudo nos Estados Unidos da América, Brasil e nas Filipinas, uma abadia nullius, 16 vigariatos apostólicos e 15 prefeituras apostólicas. Interessado na questão social, preocupou-se em defender a repressão de algumas tendências que levavam ao socialismo e à implementação de um espírito de insubordinação à autoridade eclesiástica. As muitas divergências levaram à dissolução da Opera dei Congressi. Em 1910, condenou o sillonismo, um movimento modernista de carácter social inclinado a misturar o sobrenatural com o temporal. As suas relações com os governos europeus não foram muito pacíficas, como foi o caso de França por causa da nomeação dos bispos franceses que abalou as relações diplomáticas com a Santa Sé, de Espanha ou Portugal, em 1910-11, e da Itália a propósito da Questão Romana. Pio X procedeu a grandes restauros no Vaticano e foi muito sensível às catástrofes da época, nomeadamente nos grandes terramotos da Calábria - em que solicitou a ajuda de todos os católicos do mundo reunindo 7 000 000 de francos para assistência às vítimas - , na erupção do Vesúvio, nas catástrofes em Portugal e na Irlanda.
Como referenciar: S. Pio X in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-07 04:56:27]. Disponível na Internet: