Saint Sernin de Toulouse

Esta igreja nasceu do culto ao primeiro padre de Toulouse (França), Saint Sernin, diminutivo de Saturnin (Saturnino). Este santo terá morrido no ano 250 d. C., vítima de um motim popular. Como a sua tumba atraía muitos peregrinos, foi feita uma primeira basílica, no século V, estando documentada a existência de uma comunidade monástica no local desde 844. A construção do grande edifício medieval, considerado o maior edifício românico francês, iniciou-se em 1070, sendo sagrado em 1096 pelo papa Urbano II. Ao integrar-se na rota de peregrinação de Santiago de Compostela, o seu plano obedece desde logo às exigências da peregrinação e do acolhimento de relíquias: nave larga, com naves colaterais, transepto saliente, capela-mor com deambulatório e capelas radiantes, o que permitia a realização do culto simultaneamente em diversos pontos da igreja. Do interior destaca-se a beleza dos capitéis, que revelam a própria evolução artística, os baixos-relevos, as portas lavradas e as pinturas murais. Apesar da edificação se ter iniciado no século XI, a nave só ficou concluída no século XIII e a fachada ocidental nunca foi terminada. No século XIX toda a parte abacial foi demolida e vendida, ficando a igreja isolada e descontextualizada. Entre 1860 e 1879 sofreu uma intervenção da autoria de Viollet-le-Duc, depois reposta nos anos 70 deste século.
Como referenciar: Saint Sernin de Toulouse in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-07-07 19:29:07]. Disponível na Internet: