salto à vara

Esta modalidade desportiva consiste em ultrapassar, em altura, uma fasquia, apoiada em duas barras, com a ajuda de uma vara para elevar o corpo.
O atleta, apesar de poder roçar ou tocar na fasquia, vê o seu salto invalidado se a fizer cair. O atleta corre numa pista empunhando uma longa vara que espeta numa espécie de caixa no solo - o pontão de chamada – colocada antes do obstáculo e tenta com a impulsão ultrapassar a fasquia colocada a determinada altura. Dispõe de três tentativas para a transpor e se não o conseguir é eliminado da prova. Na Grécia Antiga e em Creta já existia uma espécie de salto à vara, só que então o obstáculo a ultrapassar era um touro. Os celtas também usavam varas para saltar, mas aqui com o objetivo de chegar mais longe e não mais alto. A transformação definitiva em salto vertical aconteceu em finais do século XVIII, na Alemanha, nas provas de ginástica. Contudo, foram os ingleses que levaram esta disciplina para as pistas ao ar livre, já no século XIX. O salto à vara fez parte dos Campeonatos Universitários de Cambridge, em 1857 e, cerca de três décadas mais tarde, foi incluído no programa de atletismo da primeira edição dos Jogos Olímpicos da era moderna, que tiveram lugar em Atenas em 1896. Logo nos primeiros anos do século XX, mais precisamente em 1904, os atletas começaram a melhorar consideravelmente as suas marcas, pois passaram a usar varas mais flexíveis, feitas em bambu, abandonando as de madeira, mais rígidas e pesadas. Já perto do final da década de 50, o recurso a varas de alumínio e outras de fibra de vidro, como também a uma base de espuma para amparar a queda dos saltadores, levou a que estes lograssem subir cada vez mais alto. A partir de 1957, os recordes passaram a ser batidos pelos atletas que usavam varas de alumínio e depois seguiu-se o domínio da fibra de vidro, mas já na década de 60.
Apesar de fazer parte dos Jogos Olímpicos desde 1896, só na edição do ano 2000, em Sydney, na Austrália, é que as mulheres puderam competir nesta disciplina de atletismo.
A grande figura internacional do salto à vara é o ucraniano Sergei Bubka, várias vezes recordista mundial, que atingiu em 1994 a marca de 6,14 metros. Bubka é detentor das seis melhores marcas do mundo da especialidade. Apesar de ter sido por seis vezes campeão do Mundo, por motivos vários só alcançou uma medalha de ouro nos Jogos Olímpicos, em Seul, em 1988, precisamente no ano em que fez história ao ser o primeiro atleta a ultrapassar a barreira dos 6 metros.
Como referenciar: salto à vara in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-11 01:18:10]. Disponível na Internet: