Santa Joana Princesa

Membro da monarquia portuguesa (1452-1490), nasceu em Lisboa e tinha três anos quando a sua mãe faleceu, tendo sido entregue, juntamente com seu irmão, futuro D. João II, aos cuidados de D. Brites de Meneses. Recebeu uma educação humanista com a sua tia D. Filipa de Lencastre. A princesa, para além de contar com uma boa biblioteca, usufruiu da companhia de importantes letrados.
Enquanto o seu pai e irmão combatiam em Arzila, foi-lhe confiada a regência do reino (1471). Quando regressaram, a princesa pediu ao rei para professar num mosteiro da sua escolha e entrou no mosteiro de Odivelas. Em 1472 D. Joana trocou o mosteiro de Odivelas pelo mosteiro dominicano de Jesus em Aveiro. Tomou o hábito em 1475 sem professar votos solenes. O príncipe e o bispo D. Garcia convenceram-na a desligar-se dos votos de clausura. Iconograficamente surgem três coroas nas suas representações, simbolizando as suas sucessivas recusas de casamento.
O rei D. Afonso V proviu o mosteiro de muitos bens e em 1485 D. João II doou o senhorio de Aveiro à infanta, que por sua vez promoveu o alargamento dos bens pertencentes ao mosteiro. A princesa morreu em Aveiro em 1490. Foi beatificada em 1693 e canonizada em 1756.
Como referenciar: Porto Editora – Santa Joana Princesa na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-10-18 00:23:09]. Disponível em