São Pedro

Discípulo dileto de Jesus Cristo, foi por ele eleito para encabeçar a Igreja e se tornar a sua pedra angular, tendo sido, de facto, o primeiro líder terreno da Igreja. Esta legitimidade, aplicada depois a todos os papas, proveio da seguinte afirmação de Jesus [citada por São Mateus no seu Evangelho (16,17)]: "Sobre esta pedra edificarei a minha Igreja [...]. Eu te darei as chaves do reino dos Céus e tudo quanto desatares na terra será desatado no céu".
Segundo os Evangelhos, Simão - assim chamado antes de ser chamado ao apostolado -, filho de Jonas (ou João) e irmão de André, terá nascido ao pé do lago Tiberíades (ou Mar da Galileia), onde se tornou pescador. O seu nome posterior, Pedro (que significa pedra), resulta da latinização do nome aramaico Cefas ou Kipha, dado por Jesus.
Era casado, crendo-se que tinha filhos, e vivia em Cafarnaum, sendo pescador no lago de Genesaret. Seguidor, como seu irmão, de São João Batista e depois de Jesus, tornou-se o primeiro entre os apóstolos, pela sua crença e dedicação.
Pregou a gentes de todos os credos em diversos sítios, entre os quais Antioquia e Jerusalém, não se sabendo com toda a certeza se esteve em Roma e a época exata em que lá terá estado. Contudo, a Primeira Epístola de S. Pedro (c. do ano 64) alude à sua estadia na Babilónia (nome metafórico dado a Roma), assim como os testemunhos escritos de São Inácio de Antioquia, Ireneu de Lyon e de São Clemente Romano. Seria na Via Salaria, na catacumba de Priscila, onde Pedro batizaria e pregaria aos fiéis, segundo a tradição.
São Pedro inaugurou uma sucessão de bispos de Roma (ou papas) que a partir da sua sede romana (chamada de trono de São Pedro) tentaram propagar a nova Fé pelo mundo. Segundo os Evangelhos, estava predestinada a morte supliciada de Pedro, para lançar as raízes do Cristianismo numa cidade corrupta e devassa, uma Babilónia, conforme as suas palavras.
Após o martírio na cruz invertida (64 - 67?), na sequência de uma perseguição de Nero, conta mais tarde o presbítero Gaio (séculos II-III) que São Pedro foi enterrado na colina Vaticana (junto ao Circo do citado imperador), tendo o seu corpo sido furtado no ano de 827. Assim, tudo leva a crer que o sóbrio sepulcro encontrado nas escavações efetuadas na década de 1940 sob a basílica de Constantino (hoje chamada de São Pedro) seja provavelmente o do apóstolo.
São Pedro é usualmente representado com vestes papais ou de apóstolo, com um livro e com uma chave de ouro (representando o Céu e a absolvição) e uma em prata (que simboliza a Terra e a condenação).
Como referenciar: São Pedro in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-24 23:24:54]. Disponível na Internet: