Sátão

Aspetos Geográficos
O concelho de Sátão, do distrito de Viseu, localiza-se na Região Centro (NUT II), no Dão-Lafões (NUT III). Ocupa uma área de 202 km2 e abrange 12 freguesias: Águas Boas, Avelal, Decermilo, Ferreira de Aves, Forles, Mioma, Rio de Moinhos, Romãs, São Miguel de Vila Boa, Sátão, Silvã de Cima e Vila Longa.
O concelho apresentava, em 2005, um total de 13 342 habitantes. O natural ou habitante de Sátão denomina-se satanense ou satense.
O concelho encontra-se limitado a norte pelo concelho de Moimenta da Beira, a nordeste por Sernancelhe, a noroeste por Vila Nova de Paiva, a oeste por Viseu, a sul por Penalva do Castelo e a este por Aguiar da Beira, que pertence ao distrito da Guarda.
Possui um clima mediterrânico com feição continental, apresentando invernos frios e verões quentes e secos.
A sua morfologia é bastante acidentada, destacando-se, como áreas de maior altitude, Laje de São Domingos (525 m), Covelo de Cima (822 m), Facho (733 m) e Serra Alta (745 m). Embora o relevo seja cortado pelo Vouga e pela ribeira de Sátão, as abas montanhosas sobem, a norte, pela serra da Lapa e pelo planalto da Nave. Turisticamente, estão definidas rotas em três linhas diferenciadas: a Rota do Sol, a Estrada do Nascente e as Terras do Alto Vouga.
Como recursos hídricos, possui o rio Vouga, o rio Sátão e o rio Coja.

História e Monumentos
O concelho resultou da fusão dos municípios de Gulfar e de Ferreira de Aves, ambos, provavelmente, anteriores à nacionalidade.
Recebeu foral em 1111, outorgado pelo conde D. Henrique e por D. Teresa, o qual foi confirmado em 1218 por D. Afonso II.
Em 1708 Sátão seria a vila da igreja-vigairaria, do padroado real e da comenda da Ordem de Cristo, contando, segundo dados da época, com um elevado número de fogos (276).
Ao nível do património histórico e arquitetónico, destaca-se o Santuário de Nossa Senhora da Oliva, fundado em 1633, cuja igreja é o que resta de um antigo convento de dominicanas. O retábulo do altar-mor é de talha joanina, sendo datado da terceira década do século XVIII. As paredes da capela-mor são revestidas a azulejos policromos do tipo tapete do século XVI. Da imaginária destacam-se duas esculturas, estofadas e douradas: a de Nossa Senhora da Oliva e a de Nossa Senhora do Rosário, ambas do século XVII.
São de referir ainda a Capela de Contige, que apresenta trabalhos de primorosa talha, e o santuário penitencial do Senhor dos Caminhos.

Tradições, Lendas e Curiosidades
São em grande número as manifestações populares e culturais do concelho: a festa de Nossa Senhora da Graça, realizada a 15 de agosto; a festa de Nossa Senhora da Conceição, a 8 de dezembro; a do Mártir S. Sebastião, a 20 de janeiro; a festa de Nossa Senhora da Oliva, a 15 de agosto; a de Santo António, a 13 de junho; a de S. Silvestre, a 31 de dezembro; a festa do Anjo da Guarda, no segundo domingo de agosto; a festa de Nossa Senhora de Belém, no quarto domingo de agosto, e a de Nossa Senhora de Fátima, a 13 de maio.
O artesanato é muito rico e variado, salientando-se os trabalhos de cestaria de vime (canastros, vindimeiros e cestos de costelas), os trabalhos de cestaria de palha e silva (teigas), a latoaria de flandres, os trabalhos de tecelagem (mantas de farrapos e mantas de alevantes) e as ferragens (utensílios agrícolas e ferros forjados).
Como lenda e tradição, destaca-se o designado "casamento das velhas", atividade realizada pelo Carnaval. Era costume os jovens da aldeia dividirem-se em dois grupos, que deveriam colocar-se em pontos altos afastados um do outro. Faziam dos funis de metal, usados para encher as pipas de vinho, megafones para gritar o nome das raparigas e para lhes escolher um par. Era costume fazer pares entre pessoas que tinham relações pouco amistosas, geralmente entre velhos viúvos e jovens solteiras, com a intenção de criar os pares considerados os mais improváveis e, assim, provocar a irritação dos contemplados. Os dois grupos de rapazes passavam a tarde a perguntar um ao outro qual seria o "parceiro ideal" para esta ou aquela jovem ou senhora.

Economia
No concelho predominam as atividades ligadas ao setor primário, seguidas das do secundário, na área das indústrias de mobiliário, têxtil, de mármores e granitos, de tintas e de louças, e só depois das do setor terciário.
No que se refere à atividade agrícola, predominam os cultivos de cereais para grão, leguminosas secas para grão, prados temporários e culturas forrageiras, batata, prados, pastagens permanentes e vinha. A pecuária tem também alguma importância, nomeadamente na criação de suínos, coelhos e aves. Cerca de 43,2% (2563 ha) do seu território está coberto de floresta.
Como referenciar: Sátão in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-06-26 10:44:58]. Disponível na Internet: