Seamus Heaney

Poeta irlandês, Seamus Justin Heany nasceu a 13 de abril de 1939 nas cercanias de Castledawson, County Derry, na Irlanda do Norte. Filho de um pequeno proprietário rural, entusiasta do comércio de gado, cresceu num ambiente católico.
Frequentou a escola da localidade até 1951, altura em que ganhou uma bolsa de estudos para o St. Columb's College, um colégio interno de orientação católica. Em 1953 os seus pais deixaram a quinta, facto que veio a suscitar no seu espírito um certo saudosismo. Ingressou na Queen´s University de Belfast em 1957 e, após ter obtido o seu diploma em 1961, prosseguiu para o St. Joseph's College of Education, onde recebeu habilitações pedagógicas.
Trabalhou um ano como professor do ensino secundário, após o qual fez o percurso inverso, lecionando três anos no St. Joseph's College of Education e, em 1966, na Queen´s University. Em 1965 publicou o seu primeiro livro, uma coletânea de poemas intitulada Eleven Poems, a que se seguiu Death Of A Naturalist (1966), que veio a confirmar a sua reputação como poeta. Entre 1968 e 1969 o Ulster tornou-se palco de grandes perseguições religiosas, movidas pela maioria protestante ao extrato de convicções católicas. As tropas britânicas invadiram o território, o que levou Heaney a mudar-se em 1972 para o condado de Wicklow, na República da Irlanda, onde se estabeleceu como escritor independente. As suas experiências do conflito religioso aparecem expressas em obras como North (1975) e Field Work (1979). Em 1975 começou a lecionar no Carysfort College of Education, onde permaneceu até 1981, altura em que foi nomeado professor convidado da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos da América. Entre 1989 e 1994 foi professor catedrático de Poesia na Universidade de Oxford.
Mantendo o seu carácter visionário e alegórico, Seamus Heaney publicou também a coletânea de ensaios Preoccupations: Selected Prose (1968-1978), Station Island (1984), Seeing Things (1991) e Beowulf (1999), poema inspirado no homónimo medieval anglo-saxónico, e em que o autor reconduz a saga à atenção do espírito contemporâneo, impotente perante as forças tenebrosas da política mundial. Em 2001 publicou Electric Light, obra em que o poeta recorre às suas memórias de infância.
Seamus Heaney foi galardoado com o Prémio Nobel da Literatura em 1995.
Como referenciar: Seamus Heaney in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-10-24 19:28:08]. Disponível na Internet: