Sean Penn

Ator e realizador norte-americano, nascido a 17 de agosto de 1960, na cidade californiana de Santa Monica, desde cedo se sentiu inclinado a seguir a vida artística, visto a sua mãe ser uma atriz de teatro. Fez algumas aparições teatrais em Los Angeles e em 1980, teve algum sucesso na Broadway com a peça Heartland. Depois de dois pequenos papéis em telefilmes, estreou-se no cinema em Taps (O Clarim da Revolta, 1981), desempenhando um papel de um jovem cadete de uma academia militar que se revolta contra o encerramento da mesma. A sua enérgica atuação não passou despercebida, mas, ao contrário do que se poderia esperar, Penn não embarcou para uma carreira sólida, optando por entrar em filmes de qualidade duvidosa. Em 1985, conheceu a cantora Madonna com quem acabou por contrair matrimónio. O par fez as delícias dos tabloides de escândalos, devido ao temperamento irascível de Penn que não hesitava em agredir qualquer paparazzi que se aproximasse do casal. O casal protagonizou o filme Shangai Surprise (Xangai, 1986), um filme de aventuras produzido pelo Beatle George Harrison e considerado unanimemente pelos críticos como um dos piores títulos da história do cinema. No decorrer das filmagens, Penn espancou um figurante que seduzira Madonna, facto que valeu ao ator uma pena de prisão de 30 dias. Apesar do falhanço comercial do filme, Penn redimiu-se com dois sóbrios desempenhos consecutivos em At Close Range (Homens à Queima-Roupa, 1986) e Colors (Los Angeles a Ferro e Fogo, 1987). Divorciou-se de Madonna em 1989 e entrou em dois fracassos de bilheteira: a comédia We're No Angels (Ninguém é Santo, 1989), ao lado de Robert De Niro, e o drama de guerra Casualties of War (Corações de Aço, 1989), de Brian de Palma. Em consequência disso, Penn anunciou que se retirava para abraçar a carreira de realizador. Em 1991, casou com a atriz Robin Wright e realizou um pequeno filme independente: The Indian Runner. Não conseguiu recusar o convite de Brian de Palma para voltar para a frente das câmaras em Carlito's Way (Perseguido pelo Passado, 1993). Penn emergiu como um ator mais maduro e provou-o em Dead Man Walking (A Última Caminhada, 1995), onde personificou um condenado pela morte de dois jovens que estabelece uma relação de amizade com uma freira (Susan Sarandon), que se torna sua conselheira espiritual. A vertente dramática que Penn conferiu à sua personagem impeliu-o para uma nomeação para o Óscar de Melhor Ator. Nesse mesmo ano, realizou The Crossing Guard, que lhe valeu a recuperação do prestígio junto da crítica. Depois de atuar em filmes de sucesso, como The Game (O Jogo, 1997) e The Thin Red Line (A Barreira Invisível, 1998), Penn voltou às nomeações para Melhor Ator, ambas infrutíferas: por um músico de jazz em Sweet and Lowndown (Através da Noite, 1999) e por um deficiente mental que luta pela custódia da sua filha em I Am Sam (A Força do Amor, 2001). Em 2003, participou em It's All About Love (O Amor é Tudo), de Thomas Vinterberg, 21 Grams (21 Gramas), um drama de Alejandro González Iñárritu que nos mostra como o acaso pode mudar definitivamente a vida das pessoas, e ainda Mystic River, um filme de suspense psicológico realizado por Clint Eastwood, pelo qual Sean Penn recebeu o Óscar de Melhor Ator Principal.
Em 2008, Sean Penn foi novamente galardoado com um Óscar de Melhor Ator Principal, pela sua interpretação de Harvey Milk, no filme Milk, de Gus Van Sant. Penn desempenha o papel de um político norte-americano que na década de 70 assumiu publicamente a sua homossexualidade e lutou pelos direitos dos homossexuais.
Como referenciar: Porto Editora – Sean Penn na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-10-25 12:19:41]. Disponível em