seminário

Até ao ano de 1563, mais concretamente o dia 15 de julho, a formação dos clérigos era feita essencialmente através do ensino ministrado por um sacerdote ou pela frequência de uma das escolas de catedrais, paroquiais ou pertencentes a colegiadas, verificando-se igualmente em determinados locais a formação através de escolas conventuais e de mosteiros, assim como da universidade. A data acima referida foi aquela em que se emitiu o decreto Cum adolescentium aetas, resultante das deliberações do Concílio de Trento (1545-1563), que considerou necessária uma instituição organizada e sistematizada para a formação de um clero que seguisse e propagasse os preceitos da Igreja correta e uniformemente.
No seminário, além da formação essencial em Teologia e Dogmática, foi instituído o ensino do canto, das homilias dos santos, da Sagrada Escritura, de cerimoniais, da administração dos sacramentos e da gramática, entre outros preceitos, tomando os cabidos e os benefícios eclesiásticos o encargo de suportar economicamente os seminários. Cada diocese tem atualmente um seminário "menor" (adolescentes, equivalente ao ensino secundário) e um "maior", de carácter universitário e de pré-ordenação presbiterial. Possui um corpo regente e quase sempre uma estrutura docente, pois na atualidade o ensino dos seminários é administrado nas Universidades e Institutos Católicos.
Como referenciar: seminário in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-04-21 08:06:20]. Disponível na Internet: