silício

O silício (Si) é um elemento químico semimetálico, tetravalente e de cor cinzenta, que se localiza no grupo 14 e período 3 da Tabela Periódica.
Este possui número atómico 14 e massa atómica 28,0855.
Depois do oxigénio, o silício é o elemento mais abundante na crusta terrestre, da qual constitui 27,5%.
Na Natureza apenas se encontra na forma combinada. Como dióxido de silício (SiO2) encontra-se no quartzo e é parte integrante de certas rochas e das massas de areia de praias e desertos. Em combinação com o alumínio forma a argila (Al2O3.2SiO2.2H2O) utilizada pelos oleiros. Outro componente importante das rochas são os silicatos, como o feldspato de cálcio Ca[Al2Si2O8] ou a moscovita Kal2[AlSi3O10](OH,F)2.
O silício encontra-se também nos reinos animal e vegetal. O esqueleto dos animais inferiores é constituído por dióxido de silício, presente também nas gramíneas e na palha, de onde deriva a sua dureza, capaz de desgastar o fio de uma gadanha e provocar lesões cutâneas.
Devido ao facto do silício só aparecer em compostos, durante muito tempo acreditou-se que o dióxido de silício era um elemento. No século XVIII, Antoine Lavoisier avançou a hipótese de que talvez se tratasse de um óxido de um elemento desconhecido que, finalmente, foi isolado, embora ainda não na sua forma pura, em 1824, em Estocolmo, Suécia, pelo químico sueco Jöns Jacob Berzelius (1779-1848).
O nome silício deriva do latim silicis que significa coisa muito dura.
Atualmente, o silício obtém-se industrialmente fundindo areia de quartzo misturada com carvão. O carbono apodera-se do oxigénio de quartzo e, em consequência, forma-se monóxido de carbono e silício. O silício assim obtido é um pó que ainda contém 2% de impurezas. Para conseguir silício puro é necessário transformá-lo, primeiro em silicoclorofórmio (HSiCl3) ou silano (SiH4) e, em seguida, insuflar hidrogénio a altas temperaturas ou, em alternativa, esperar que se origine espontaneamente a decomposição. A purificação completa-se com a fusão por zonas.
O silício puro cristalizado é uma substância opaca, de cor cinzento-escura e muito brilhante. A distância entre os átomos é de 0,2352 nanómetros, funde a 1410 ºC e o ponto de ebulição é de 2477 ºC. Eletricamente, é um semicondutor e juntando-se pequenas percentagens de outras substâncias pode aumentar-se a sua condutibilidade e utilizar-se para fabricar diversos componentes elétricos.
O silício tem diversas aplicações que vão desde o fabrico de vasilhas, taças, pratos, peças de porcelana, até ao seu uso como peneiro molecular.
Usa-se também em células que transformam a energia solar em energia elétrica (células fotovoltaicas). Com ele fabricam-se componentes eletrónicos, como díodos, transístores e circuitos integrados, sem os quais a microeletrónica não poderia ter alcançado o seu nível atual.
Em reconhecimento da sua importância, a Califórnia deu o nome de Silicon Valley (Vale do Silício) ao centro da moderna indústria eletrónica.
Como referenciar: Porto Editora – silício na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-01-18 01:31:42]. Disponível em