Siouxsie and the Banshees

A origem dos Siouxsie and the Banshees remonta ao dia 20 de setembro de 1976, data do seu primeiro concerto, ainda sob a designação de Suzie and the Banshees. Tocando no Festival Punk do clube londrino 100 Club, o grupo apresentou-se com Sid Vicious (futuro membro dos Sex Pistols) na bateria, Marco Pirroni na guitarra, Steve Severin (n. Steven Bailey, 25-09-1955) no baixo e Siouxsie Sioux (n. Susan Janet Ballion, 27-05-1957) na voz. Em outubro do mesmo ano, Vicious e Pirroni foram substituídos por Kenny Morris e Nils Stevenson, respetivamente. Um mês mais tarde seria a vez de Stevenson dar o seu lugar ao guitarrista Pete Fenton.
Na primavera de 1977, os Siouxsie and the Banshees constituíam-se como uma das principais bandas de culto do circuito de bares londrino. Mais tarde, no verão, o grupo substituiu o seu guitarrista, Pete Fenton, por John McKay. A 9 de junho de 1978 assinaram contrato com a editora Polydor e, um mês depois, deram o seu primeiro concerto na qualidade de cabeça de cartaz, em Londres, no Roundhouse.
Em agosto de 1978, foi lançado o single de estreia, intitulado "Hongkong Garden", que atingiu o Top 10 britânico, sendo logo seguido do primeiro álbum da banda, The Scream. O início de 1979 marcou a primeira digressão do grupo ao estrangeiro, cumprindo datas na Alemanha, Holanda e Bélgica e, em setembro do mesmo ano, surgiu Join Hands, o segundo longa-duração da banda, do qual fizeram parte temas como "Staircase Mystery" e "Playground Twist". No dia sete desse mesmo mês, algumas horas antes dum concerto em Aberdeen (Escócia), integrado numa digressão promocional, McKay e Morris deixaram bruscamente a banda, tendo sido substituídos pelo baterista Budgie (n. Peter Clarke, 21-08-1957) e, provisoriamente, por Robert Smith, vocalista e guitarrista dos The Cure, banda que fazia as primeiras partes dos concertos dos Banshees.
Em agosto de 1980, o grupo lançou Kaleidoscope, álbum que mostrou uma certa evolução melódica do grupo. Gravado com os guitarristas-convidados Steve Jones (ex-Sex Pistols) e John McGeoch, incluiu os clássicos "Happy House", "Christine" e "Israel".
Pouco tempo depois, McGeoch tornou-se membro permanente do grupo e foi nessa qualidade que participou na gravação de Ju-Ju (1981), o quarto trabalho, responsável por lançar as bases do que seria o psicadelismo e o gótico dos anos 80, patentes em temas como "Spellbound" e "Arabian Nights". Entretanto Siouxsie e Budgie decidiram formar os The Creatures, cujo primeiro disco, uma versão de "Wild Thing" dos The Troggs, foi lançado em setembro de 1981.
Antecedido da coletânea dos seus primeiros singles (Once Upon A Time, 1981), foi editado, em outubro de 1982, A Kiss In The Dreamhouse, trabalho que incluiu temas como "Cascade", "Melt!" e "Slowdive" e que marcou a última participação de John McGeoch na atividade do grupo. Um mês depois, foi substituído por Robert Smith, que desta vez entrou no grupo a título permanente.
Durante a primeira metade de 1983, Steve Severin, Robert Smith e Jeanette Landrey fundaram o projeto The Glove, enquanto Siouxsie e Budgie prosseguiam com a atividade dos The Creatures. Em setembro do mesmo ano, os Banshees regressaram com a versão de "Dear Prudence", dos Beatles, que constituiu o maior êxito do grupo no Reino Unido até à data. Dois meses depois lançaram o registo ao vivo, Nocturne, gravado no Royal Albert Hall, em Londres. Apesar de se revelar o maior fracasso de vendas do grupo, foi a primeira edição discográfica a ser efetuada através da sua própria editora, a Wonderland.
Em maio de 1984, Robert Smith anunciou a saída dos Banshees, dada a exigência que os The Cure implicavam. Para o seu lugar entrou John Valentine Carruthers. No mês seguinte foi editado o álbum Hyaena, ainda com Robert Smith na guitarra. Este trabalho incluiu os singles "Dazzle" e "Swimming Horses".
Em abril de 1986 surgiu o álbum Tinderbox e os clássicos "Cities In Dust" e "Candyman". Um ano depois, o single "This Wheel's On Fire" levou novamente o grupo às tabelas de vendas do Reino Unido, seguindo-se-lhe o álbum de versões Through The Looking Glass, que constituiu um grande sucesso comercial graças a temas como "The Passenger" (original de Iggy Pop).
Em 1988, o guitarrista John Carruthers foi substituído por Jon Klein. O grupo recrutou ainda o teclista e violoncelista Martin McCarrick. Em julho, foi editado um dos mais bem-sucedidos álbuns da banda, Peepshow, do qual fizeram parte os temas "Peek-A-Boo", "The Killing Jar" e "The Last Beat Of My Heart". "Peek-A-Boo" foi mesmo o primeiro single da história do grupo a impor-se no mercado norte-americano.
A carreira dos Siouxsie And The Banshees na década de 90 não foi tão profícua como na década anterior. A 25 de maio de 1991, Siouxsie e Budgie casaram-se e mudaram-se para o sul de França. Em junho foi lançado Superstition, o álbum comercialmente mais bem-sucedido da banda, que incluiu os singles "Kiss Them For Me" e "Shadowtime".
Em 1992, participaram na banda sonora do filme Batman Returns com o tema "Face To Face". Em outubro do mesmo ano, surgiu a segunda coletânea da história do grupo, Twice Upon A Time - The Singles, que contemplou o período de 1981 a 1992. Em julho de 1994, o cantor Morrissey editou o single "Interlude", em dueto com Siouxsie.
O ano de 1995 viu ser editado o último álbum da banda, The Rapture. Produzido em parte por John Cale. Este trabalho incluiu temas como "O Baby" e "Stargazer". A digressão que se seguiu não contou com Jon Klein, tendo este sido substituído por Knox Chandler (dos Psychedelic Furs). Ainda em 1995, a banda participou na banda sonora do filme Showgirls (de Paul Verhoeven) com o tema "New Skin".
Em abril de 1996, os Siouxsie And The Banshees decidiram encerrar a atividade do grupo. Siouxsie e Budgie puderam dedicar-se totalmente aos The Creatures. Steve Severin compôs a banda sonora do filme Visions Of Ecstasy.
Em 2003, foi editado Seven Year Itch, um registo ao vivo. No ano anterior havia sido lançada a coletânea The Best Of Siouxsie & The Banshees, um disco duplo com os temas mais relevantes da carreira do grupo.
Como referenciar: Siouxsie and the Banshees in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-15 03:10:13]. Disponível na Internet: