Snorri Sturluson

Poeta e historiador islandês, Snorri Sturluson nasceu em 1179. Descendente do poeta e herói da Saga de Egill, Egill Skallgrímsson, foi educado por um dos mais notórios chefes da Islândia, Jón Loptsson, com quem adquiriu um profundo conhecimento da história e da tradição islandesas.
Tendo o seu pai falecido em 1197, casou, dois anos mais tarde, com Herdis, proveniente de uma família abastada. Embora se tivesse dedicado, nesse período, a aumentar a sua fortuna, tornando-se um dos homens mais ricos da Islândia, o seu casamento não foi feliz, pelo que a esposa viveu separada de Sturluson até à data da sua morte, em 1233.
Snorri Sturluson tinha assentado em Reykjaholt em 1206. Aí teria escrito, entre 1223 e 1235, a maior parte das suas obras, como o Edda Maior e o Heimskrinkla.
De 1215 a 1218, e de 1222 a 1232, foi presidente do tribunal islandês e, no intervalo deste período, deslocou-se à Noruega, a convite do jovem monarca Haakon IV. Aí assinou o tratado que dava à Noruega a supremacia sobre a Islândia, pelo que foi considerado um traidor.
De regresso à Islândia, Snorri Sturlusson envolveu-se em inúmeras contendas, e levantou as suspeitas de Haakon IV, ao não promover o tratado que assinara. Teve vários filhos ilegítimos e passou a viver com uma viúva, cuja propriedade incorporou à sua própria.
Em 1237 largou para a Noruega, juntando-se ao movimento de oposição ao rei. Tendo regressado novamente à Islândia, foi mandado assassinar por ordem do rei Haakon IV, o que sucederia a 11 de setembro de 1241, em Gut Reykjaholt, a golpes de machado desferidos por Arne Besk, um reles ladrão e assassino. As suas últimas palavras teriam sido: "Não golpeies!".
Como referenciar: Snorri Sturluson in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2021. [consult. 2021-01-27 23:48:24]. Disponível na Internet: