Soeiro Pereira Gomes

Concluído em Coimbra o curso de Regente Agrícola, permanece em África entre 1930 e 1931. De volta a Portugal, trabalha nos escritórios de uma fábrica de cimento, liga-se ao movimento operário e vive, nos últimos anos de vida, na clandestinidade, devido à luta contra o fascismo. Colaborador de O Diabo, foi um dos iniciadores do movimento neorrealista em Portugal, sendo o seu único romance publicado em vida, Esteiros, considerado uma das obras romanescas mais representativas da estética narrativa neorrealista na sua primeira fase.
Como referenciar: Soeiro Pereira Gomes in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2021. [consult. 2021-04-14 15:58:22]. Disponível na Internet: