sondagem (estatística)

A sondagem consiste numa forma particular de inquérito, realizado junto de uma amostra de determinada população, cujo objetivo fundamental é o de, a partir do seu estudo, permitir extrapolar as conclusões retiradas para o universo em questão.
As primeiras sondagens surgem no início do século XX, nos EUA, orientadas fundamentalmente para o conhecimento dos mecanismos de formação de opinião dos eleitores e para a prospeção de mercados, assumindo, ainda hoje, uma importância crucial nestas áreas, embora não se limitando a elas. Utiliza-se para conhecer determinados fenómenos em grandes conjuntos populacionais e, mediante a impossibilidade prática de inquirir todas as unidades de observação componentes desses universos, a sondagem é feita com base numa amostra representativa dos mesmos. A fiabilidade dos seus resultados reside, assim, em boa parte, na forma como tal amostra é construída, mas também na forma como o instrumento de recolha de dados, geralmente o questionário ou, em alguns casos, a entrevista direta, são também construídos. A sua vantagem principal é, assim, a possibilidade de obter conclusões para um conjunto populacional cujo conhecimento seria, de outra forma, impraticável, ao permitir a recolha de uma grande quantidade de informação estandardizada e rapidamente quantificável, mas coloca, por outro lado, problemas particulares de interpretação da informação recolhida relacionados com a própria composição e seleção da amostra, e também com as características das técnicas de investigação normalmente usadas, além de não ser uma técnica de estudo adequada a todo o tipo de variáveis.
Como referenciar: Porto Editora – sondagem (estatística) na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-10-24 05:16:54]. Disponível em