superfícies respiratórias

Denominação das estruturas através das quais se processa o intercâmbio direto ou indireto (hematose) de gases nos animais. São superfícies húmidas, normalmente finas, constituídas por uma camada única de células, e com uma grande área de contacto entre o meio interno e externo.
As superfícies respiratórias em que ocorre a difusão indireta, ou hematose, são locais muito vascularizados.
O tegumento, as brânquias, a traqueia e os pulmões constituem diferentes tipos de superfícies respiratórias.
No caso do tegumento, as trocas gasosas com o meio externo ocorrem pela superfície do corpo, por difusão direta (ex.: planária e hidra). O intercâmbio de gases através do tegumento pode também ocorrer por difusão indireta, como é o caso da minhoca.
Nas brânquias, estruturas típicas de animais aquáticos (ex.: peixes, moluscos e crustáceos), ocorre a hematose branquial, troca de gases por difusão indireta em que a água e o sangue circulam em contracorrente.
O intercâmbio de gases nas traqueias, presentes, por exemplo, em insetos e outros artrópodes, ocorre por difusão direta entre o epitélio das traquíolas e as células.
Nos pulmões, superfícies respiratórias internas muito vascularizadas, a difusão de gases é indireta.
Como referenciar: superfícies respiratórias in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2021. [consult. 2021-03-02 17:40:49]. Disponível na Internet: