Susan Sarandon

Atriz norte-americana, Susan Abigail Tomaling nasceu a 4 de outubro de 1946, em Nova Iorque, EUA. Estudou na Universidade Católica onde conheceu o ator Chris Sarandon, com quem acabou por se casar. Quando acompanhou o marido a uma audição, obteve inesperadamente um papel no filme Joe (1970). Isto fez com que Susan decidisse seguir a carreira de atriz profissional: participou em soap-operas e em alguns filmes de natureza independente. Depois de um pequeno papel em The Front Page (A Primeira Página, 1974), protagonizou um filme que iria tornar-se uma obra de culto, especialmente entre a franja mais jovem: The Rocky Horror Picture Show (Festival Rocky de Terror, 1975). Depois de uma série de filmes incaracterísticos, foi recrutada por Louis Malle para protagonizar dois filmes emblemáticos: Pretty Baby (Menina Bonita, 1978) e Atlantic City (1980), tendo sido nomeada, pela prestação neste último filme, para o Óscar de Melhor Atriz.
Quando tudo indicava que Susan Sarandon estaria talhada para uma carreira de alto gabarito, os anos seguintes trouxeram-lhe desilusões em termos de falhanços comerciais e papéis sem qualquer profundidade. Excetuaram-se a sua jornalista seduzida por um vampiro em The Hunger (Fome de Viver, 1983), a sua ninfomaníaca Livilla na série televisiva Anno Domini (1985) e a sua bruxa em The Witches of Eastwick (As Bruxas de Eastwick, 1987). Depois de um curto período na Europa, foi convidada para protagonizar, ao lado de Kevin Costner, um filme sobre basebol: Bull Durham (Jogo a Três Mãos, 1988). Durante as rodagens, apaixonou-se pelo ator Tim Robbins que se tornou seu companheiro. A década seguinte foi muito mais frutuosa com quatro nomeações para o Óscar de Melhor Atriz, em apenas cinco anos: foi uma rebelde criada em Thelma and Louise (Thelma e Louise, 1991), uma mãe que luta pela cura do seu filho, vitimado por uma doença cerebral em Lorenzo's Oil (Ato de Amor, 1992) e uma advogada inconformada em The Client (O Cliente, 1994). À quinta nomeação triunfou no papel de uma freira, Helen Prejean, que oferece apoio espiritual a um condenado à morte por duplo homicídio (Sean Penn) em Dead Man Walking (A Última Caminhada, 1995), realizado por Tim Robbins. Desde então, marcou presença em filmes como Illuminata (1998); Anywhere But Here (A Minha Mãe, Eu e a Minha Mãe, 1999); The Banger Sisters (As Manas Rock, 2002); Noel (2004), um drama de temática natalícia, ao lado de Penélope Cruz; Shall We Dance? (Vamos Dançar?, 2004), com Richard Gere e Jennifer Lopez; Alfie (Alfie e as Mulheres, 2004), um remake do filme homónimo de 1966; Elizabethtown (2005), realizado por Cameron Crowe, com Alec Baldwin, Kirsten Dunst e Orlando Bloom; e, ainda em 2005, Romance & Cigarettes, um musical de John Turturro.
Ao lado de Tim Robbins, é uma fervorosa ativista política, tendo sido uma das maiores opositoras à intervenção americana no Iraque na era Bush.
Como referenciar: Susan Sarandon in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-10-24 04:42:03]. Disponível na Internet: