Tajiquistão

Geografia
País da Ásia Central. Faz fronteira com a China, a leste, o Afeganistão, a sul, o Usbequistão, a oeste, e o Quirguistão, a norte. O país tem uma área de 143 100 km2 e é praticamente constituído pelas montanhas nevadas do Pamir. Mais de metade do território tem 3000 metros de altitude, só 7% tem uma altitude inferior a 1000 m. A ex-república soviética é atravessada pelos rios Amudária e Sirdária. O país divide-se em três grandes áreas: a região autónoma do Gorno-Badakhchan, as províncias de Kulab e Kurgan-Teppe, a região de Dushambe e a de Khujand (ex-Leninabad), que se encontram cobertas de neve de outubro a maio. É nos vales que se concentra a população que habita as zonas rurais. As principais cidades são Dushambe, a capital, com 599 900 habitantes (2004), Khujand (148 300 hab.), Kulob (74 000 hab.), Qurghonteppa (62 600 hab.) e Uroteppa (49 400 hab.).

Clima O clima é continental, acentuado pela altitude.

Economia
As terras baixas encontram-se irrigadas, produzem algodão, amoreiras (para a cultura do bicho-da-seda), fruta, trigo e legumes. A eletricidade, produzida em barragens dos afluentes do Amudária, permite operar fiações de algodão e seda, fábricas de bens alimentares, minas e fundições. A produção de alumínio, a principal indústria, atravessa uma crise na sequência da desagregação da URSS (Ex-União Soviética). Depois da Segunda Guerra Mundial, incrementou-se a criação de gado e a horticultura. É provavelmente a república menos desenvolvida da Ásia Central, mas é rica em minerais, extraindo petróleo, gás natural, carvão e zinco. Os principais parceiros comerciais do Tajiquistão são a Rússia, o Usbequistão, o Turquemenistão e o Cazaquistão.
Indicador ambiental: o valor das emissões de dióxido de carbono, per capita (toneladas métricas, 1999), é de 0,8.

População
Em 2006, a população era de 7 320 815 habitantes. As taxas de natalidade e de mortalidade são, respetivamente, de 32,65%o e 8,25%o. A esperança média de vida é de 64,94 anos. O valor do Índice do Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0,677 e o valor do Índice de Desenvolvimento ajustado ao Género (IDG) é de 0,673 (2001). Estima-se que, em 2025, a população seja de 11 042 000 habitantes. Os principais grupos étnicos são os tajiquistaneses (64%), os usbeques (24%) e os russos (7%). A maioria da população é muçulmana sunita (80%). A língua oficial é o tajiquistão.

História
Foi invadido pelos Persas nos séculos VII e VI a. C. e mais tarde pelos Gregos (no tempo de Alexandre Magno), Árabes, Tártaros e Mongóis. Foi governado do século XV ao século XVIII pelos chefes orientais Burkhara. Durante este período os afegãos conquistaram a zona sul do rio Amudária. As sucessivas migrações de povos turcos influenciaram a cultura do Tajiquistão. Viria a ser ocupado pela Rússia nos fins do século XIX, em 1860. Depois da Revolução Russa de 1917, foi incluído na República Autónoma Socialista Soviética do Tajiquistão e na República Soviética do Povo de Burkhara, cujo chefe de Estado era o presidente do Soviete Supremo. No período soviético, o país foi conduzido pelo partido comunista do Tajiquistão, cujos membros eram selecionados de quatro em quatro anos, e por sua vez recebiam ordens do comité central do partido comunista russo. Com o fim da União Soviética, o Tajiquistão tornou-se independente em 8 de setembro de 1991. A antiga estrutura partidária foi quebrada e foi dada a oportunidade de expressão a outros partidos, mas o país encontrava-se dividido e sem estabilidade política e sucederam-se os atos de violência e repressão que provocaram dezenas de milhares de mortos. Em 1993 a Organização das Nações Unidas enviou missões ao território no sentido de vigiarem o cessar-fogo, entretanto acordado entre os comunistas do poder e a oposição. Em 1997 foi assinado um tratado de Paz que entrou em vigor em 2000.
Como referenciar: Tajiquistão in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-21 03:37:34]. Disponível na Internet: