telemóvel

O conceito mais básico de telemóvel (telefone celular) teve o seu início em 1947, quando alguns pesquisadores se aperceberam que, recorrendo a pequenas células, poderiam aumentar a capacidade de tráfego dos telefones móveis. No entanto, apesar de aqui estar a base do conceito, ainda não existia a técnica nem a possibilidade de alargar o tráfego de conversação, já que a quantidade de chamadas possíveis de realizar ao mesmo tempo era muito reduzida.
Foi necessário chegar a 1968, para que se compreendesse que era fundamental incrementar as comunicações móveis, dando frequências e possibilitando a existência de uma rede de comunicações móveis avançada.
Ainda em 1973, Martin Cooper, que era diretor de projeto na Motorola, criou um local em Nova Iorque, onde se trabalhou pela primeira vez um protótipo de um telemóvel. Na altura a sua ideia de criar um telefone que poderia ser transportado para todo o lado parecia um pouco inconcebível e pouco rentável, mas o tempo veio a dar-lhe razão. Foi precisamente em 1973 que a Motorola lançou as bases da primeira geração de telemóveis ao anunciar o DynaTACTM Cellular Phone, que pesava 1089 gr. Entretanto, em 1975, é registada a patente do sistema de rádio-telefone de Martin Cooper para a empresa Motorola, que, desta forma, é amplamente considerado o pai do telemóvel. Anos depois, em 1979, no Japão, foi instalada a primeira rede para telemóveis. Na Europa, o serviço celular foi introduzido em 1981, nos países nórdicos
Em 1984, a Motorola também anunciou um dos telemóveis que terá sempre um lugar na história das comunicações móveis, o DynaTACTM 8000XTM, que pesava 850 gr.
Os primeiros telemóveis estavam muito confinados aos seus próprios países e caracterizavam-se pela existência de comunicações analógicas, que não tinham grande qualidade.
Na segunda geração de telemóveis, o sistema GSM (Global System for Mobile) passou a desempenhar um papel muito importante, permitindo a melhoria das comunicações móveis. Começou a haver mais qualidade nas comunicações assim como surgiu a hipótese de utilizar o roaming internacional (possibilidade de a partir de um telemóvel realizar e receber chamadas num país estrangeiro). Em 1998, a popularidade do GSM continuou a acentuar-se, com a existência de 100 milhões de subscritores, cinco milhões de novos utilizadores/mês, 120 países envolvidos, com 300 operadores e com uma percentagem de 60% de telemóveis digitais com GSM.

Por todo o mundo proliferam as marcas e os modelos de telemóveis. Com o passar dos anos, o simples ato de usar telemóvel deixou de ser um fator decisivo em termos de importância social, já que entre cada modelo as diferenças são muito grandes. Assim, sendo, as características, o formato, o tamanho e o peso é que são fatores determinantes para associar os utilizadores a determinados estilos de vida.
Marcas como a Motorola, a Ericsson, a Nokia ou mesmo a Philips e a Siemens têm tentado ganhar pontos nos diferentes mercados. O telemóvel deixou de ser usado apenas para conversas telefónicas tradicionais, possibilitando, a partir de determinada altura, receber e enviar e-mails ou faxs, tirar fotografias e aceder à Internet a partir de um simples aparelho, entre outras funções. Assim, os telemóveis são cada vez mais associados aos computadores, contribuindo todas estas características para a natural convergência das telecomunicações.
A TMN - Telecomunicações Móveis Nacionais foi a primeira operadora de telemóveis a trabalhar em Portugal, tendo sido constituída em 22 de março de 1991. Seguiram-se a também a Telecel e, mais tarde, a Optimus. O serviço digital foi lançado em Portugal a 8 de outubro de 1992, sendo a TMN a primeira a fazê-lo e também uma das pioneiras a nível europeu. Esta operadora também foi a responsável pela introdução, a nível mundial, do conceito de telemóvel pré-pago, ao lançar o cartão Mimo.
Como referenciar: telemóvel in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-13 11:04:34]. Disponível na Internet: