Teodósio I

Flavius Theodosius nasceu no ano de 347 e morreu em janeiro de 395. Proibiu os Jogos Olímpicos em 393. Teodósio I, o Grande, título outorgado pela Igreja pelo facto de a ele se dever a vitória da ortodoxia católica, foi imperador romano entre 379 e 395. Filho do general Teodósio, nasceu em Espanha, cerca de 347, e foi convidado pelo imperador do ocidente Graciano a assumir a parte oriental do império, fortemente ameaçada pelos Godos. Teodósio I consegue travar o avanço bárbaro, quer pela força quer pela sua integração como federados, como sucedido em 382 nos Balcãs. A sua ação rápida e violenta reprimiu as usurpações de Máximo, de Eugénio, em 394, bem como a célebre carnificina dos habitantes de Tessalonica, onde durante o circo matou mais de 7000 pessoas. Esta ação viria a ser fortemente punida pelo bispo de Milão, Santo Ambrósio, que impôs uma penitência pública. Esta política mais violenta que obstinada conseguiu contudo manter a unidade imperial, inclusive ao nível religioso, com a redução gradual do paganismo baseada em medidas que interditavam o culto público e privado, com o fecho e destruição de templos, numa política iniciada em 380 e finalizada em 391-392, com o estabelecimento do paganismo como prática ilegal. Ainda em vida nomeou os seus filhos Arcádio e Honório como Augustos e seus sucessores. A morte de Teodósio marca o final da unidade do Império Romano, dividido pelos seus filhos Arcádio (que ficou com o governo do Império Romano do Oriente) e Honório (senhor do Império Romano do Ocidente

).
Como referenciar: Porto Editora – Teodósio I na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-11-30 19:02:55]. Disponível em