Teresa Lopes

Poetisa, autora dramática e ensaísta, Maria Teresa Rita Lopes nasceu a 12 de setembro de 1937, em Faro. Licenciou-se em Filologia Românica pela Faculdade de Letras de Lisboa e doutorou-se em Literatura Comparada, com uma tese subordinada ao tema Fernando Pessoa et le Drame Symboliste: Héritage et Création, defendida na Sorbonne, onde desempenhou funções docentes entre 1969 e 1982.
Foi cofundadora da Universidade Nova de Lisboa e diretora do Instituto de Estudos sobre o Modernismo, cujo principal objetivo é divulgar e preservar a obra de autores modernistas, em especial de Fernando Pessoa, autor a quem tem dedicado a maior parte dos seus trabalhos de crítica literária. Colaborou, também, em diferentes periódicos como República, O Tempo e o Modo, Colóquio/Letras, Espacio Escrito, Anthropos, Boca Bilingue, Archives e Magazine Littéraire.
Tem sido reconhecida pela crítica, obtendo com o seu livro de poemas, Os Dedos, os Dias, as Palavras, o Prémio de Poesia da Câmara Municipal de Lisboa. Recebeu também o Grande Prémio de Ensaio Unicer/Letras & Letras, pelo ensaio Miguel Torga - Ofícios a "Um Deus da Terra" e o Prémio de Ensaio Pen Club pela obra Pessoa por Conhecer.
Salientam-se ainda na sua produção os textos dramáticos, Três Fósforos, Rimance da Mal-Maridada/Sopinhas de Mel; os livros de poesia, Por assim Dizer e Cicatriz e os diversos trabalhos na área da crítica literária.
Como referenciar: Teresa Lopes in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-14 01:52:31]. Disponível na Internet: