Teresa Magalhães

A pintora Maria Teresa Marques Magalhães nasceu em Lisboa em 1944, cidade onde se licenciou em Pintura pela Escola Superior de Belas-Artes, em 1970. Expôs pela primeira vez em Coimbra, em 1966. Em 1976 fez parte do grupo 5 + 1, com o escultor Virgílio Domingues e os pintores João Hogan, Júlio Pereira, Guilherme Parente e Sérgio Pombo, com quem esteve casada. A modernidade desta pintora anunciou-se com a realização de figuras humanas (1979) que objectualmente assimilavam o gosto neofigurativo dos anos 1960. Mas é no domínio da pintura abstracionista que Teresa Magalhães desenvolve uma linguagem mais profunda, próxima do expressionismo abstrato. A sua pintura conservou, porém, uma atenção aos valores luminosos, às cores claras, aproveitando muitas vezes o branco do pano ou do papel. Realizou numerosos trabalhos com tintas de água sobre papel numa procura de formas elementares, em cores lisas, pouco trabalhadas, imediatas. Na sua pintura, raramente submete a cor a um tom dominante, embora possa usar fundos monocromáticos. O cromatismo tímbrico é acentuado com variações de tipo de pincelada, variações de áreas, de direções, de espessura de tinta. As cores podem aparecer delimitadas com bordos nítidos ou diluídos no fundo. O uso de colagens permite-lhe, também, justapor áreas de pinceladas, manchas e enovelamentos de linhas com escalas diferentes, o que provoca saltos percetivos e implica mudanças de distância do observador. Na sua pintura não existe dramatismo, mas manifesta-se o puro vigor na conjugação de linhas frias com a expansão das cores quentes organizando de uma forma sensual um ritmo lento de quase volumes.
Como referenciar: Porto Editora – Teresa Magalhães na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-11-27 14:44:59]. Disponível em