térmita

Animal invertebrado do filo dos artrópodes, da classe dos insetos, da ordem dos isópteros e da família dos Termitídeos. Cerca de duas mil espécies de térmitas vivem essencialmente nas regiões tropicais. Só duas espécies atingem as regiões europeias.
É um inseto terrestre de corpo mole. As térmitas são xilófagas, apresentando peças bucais roedoras e dois pares de asas idênticas, que vivem numa comunidade constituída por uma fêmea, a rainha (com um enorme abdómen), por machos, numerosas obreiras e numerosos soldados. As colónias de térmitas são constituídas essencialmente por obreiras. Os soldados representam cerca de cinco por cento dos indivíduos da colónia. Os indivíduos de cada casta são morfologicamente muito diferentes. Esta morfologia está relacionada com a especificidade da função que cada tipo morfológico desempenha. A rainha e os machos desempenham funções reprodutoras. As obreiras encarregam-se da construção dos ninhos, do transporte dos alimentos, do cuidado com os ovos, larvas e alimentação dos reprodutores e dos soldados.
As obreiras são indivíduos ápteros de cor esbranquiçada e aspeto mole que também reparam os buracos abertos na parede da termiteira. Os soldados em que, como nas obreiras, se encontram machos e fêmeas, são dotados de um carácter agressivo que permite defender as termiteiras dos seus piores inimigos que são as formigas caçadoras. A cabeça dos soldados desenvolve-se e pode atingir um tamanho maior do que a restante parte do corpo. Os tegumentos cefálicos de cor escura adquirem uma dureza extraordinária. Todos os soldados da mesma espécie de térmitas são iguais entre si, mas apresentam algumas diferenças de espécie para espécie. Os indivíduos sexuados com funções reprodutoras são os únicos seres da colónia providos de asas. Possuem olhos compostos, um par de olhos e antenas filiformes. As asas situadas no tórax destacam-se depois do voo nupcial. De uma maneira geral o desenvolvimento de uma nova sociedade é lento conhecendo-se colónias com oitenta anos em que o casal fundador se mantém. As térmitas evitam a luz, preferindo lugares confinados com uma taxa de humidade sempre elevada. Os ninhos são constituídos à base de terra ou celulose e os maiores, cuja construção se inicia sempre debaixo de terra, podem atingir mais de seis metros de altura.
As térmitas de espécies ditas inferiores alimentam-se de madeira, são xilófagas. Os grupos evoluídos tem um regime mais variado, alimentam-se de húmus ou de diversas matérias vegetais. Há colónias de térmitas que cultivam em câmaras subterrâneas fungos como complemento alimentar. A celulose é digerida no intestino das térmitas por ação de flagelados e outros organismos simbióticos que digerem esta substância - celulose - coriácea.
Como referenciar: térmita in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-10-29 02:14:00]. Disponível na Internet: